A Câmara Municipal de Parauapebas deu início ao ano legislativo de 2018

Compartilhe nas redes sociais.

Ontem (15) em sessão solene, os 15 vereadores de Parauapebas deram início ao ano legislativo de 2018. Durante mais de duas horas os nobres edis reversaram-se na tribuna, cada um ao seu estilo de apresentação. Uns de forma breve, serena, sem polemizar ou dirigir ataques; outros teceram diversas críticas ao governo municipal, com ataques diretos ao prefeito Darci Lermen.

Em comum, o reconhecimento que o ano corrente precisa ser melhor aproveitado pelos vereadores, aumentando a produtividade e buscar atender os munícipes mais necessitados de forma mais rápida. Como nem tudo são flores, o primeiro ataque partiu do vereador Horácio Martins (PSD), que ao abordar a problemática das enchentes e os desabrigados, afirmou que o mandatário municipal havia deixado a cidade no período de carnaval, coincidindo com a situação de emergência, reconhecido e decretado pelo governo. Portanto, deixou nas entrelinhas que o prefeito havia feito “pouco caso” com a dramática situação.

Com o processo dialético se sucedendo, o vereador Horácio foi desmentido e criticado por Luiz Castilho (Pros), líder do governo, que em sua fala procurou desconstruir o discurso do referido colega de parlamento. Foi seguido pelos vereadores Rafael Oliveira (MDB) e Kelen Adriana (PTB).

Os vereadores Pavão, Braz, Joel, Zacarias, Ciza e Elias fizeram um discurso sereno, de apoio e cobrança ao governo, mas, sobretudo, demonstrando que serão interlocutores da sociedade e estarão na busca pela parceria com a gestão municipal.

O vice-prefeito Sérgio Balduíno (PSB) em sua fala defendeu o governo e tratou de apresentar as ações que estão sendo realizadas para amenizar os problemas dos desabrigados, além de tratar da sua mais nova função na gestão: dirigir a problemática Saaep. O deputado estadual Gesmar Costa (PSD) também marcou presença e em seu discurso fez um breve apanhado das ações realizadas por seu mandato.  

Quem fez o discurso mais inflamado e que empolgou a plateia foi o vereador Marcelo Parceirinho (PSC) que teceu duras críticas ao governo municipal. O referido parlamentar relacionou o desastre natural das cheias com o descaso e falta de planejamento da prefeitura. Além disso, Parceirinho afirmou que as obras realizadas pelo governo são de péssima qualidade, que precisam serem refeitas a todo momento, gerando custos desnecessários ao erário municipal.

Em um início de trabalho legislativo calmo, com tudo saindo conforme o planejado, o discurso de Parceirinho e Horário foram os “pontos fora da curva”. O primeiro de forma consistente, coerente e com conteúdo verídico, real, sem “brechas” para contestações. O segundo, não passou de discurso oposicionista infundado, com críticas rasteiras e sem fundamento.

Nas próximas semanas algumas mudanças deverão ocorrer no primeiro escalão do governo e foram provocadas de dentro da Casa de Leis. Que os trabalhos comecem, 2018 promete.

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*