Governo Darci: procura-se chefe de gabinete

Compartilhe nas redes sociais.

No último dia 24, completou um mês que a prefeitura de Parauapebas está sem chefe de gabinete. Orlando Andrade não foi efetivado como titular, mantém-se como adjunto (diferente do que afirmava a nota comunicando a saída de Edson Bonetti e a efetivação de Andrade no cargo).

Em conversas reservadas, pessoas próximas ao mandatário municipal afirmavam à época ao blog, que a questão seria resolvida em curto espaço de tempo, ou seja, em no máximo 15 dias, o cargo estaria ocupado. Não foi nomeado ninguém e nem o adjunto tornou-se titular.

O afastamento de Edson Bonetti ocorreu por solicitação judicial. Sua validade é de 180 dias. A vacância do cargo seria pela espera do tempo de afastamento de seu ex-titular? Ou o cargo está vago propositalmente para a manutenção de comando a distância de quem oficialmente não pode exercê-lo? Mantendo o adjunto apenas como medida protocolar?

Fontes ligadas ao blog afirmam que ocorreram convites. Secretários municipais – um inclusive já exerceu a referida função, e conta com o apoio de diversos integrantes do primeiro escalão; mas sem ainda a palavra do prefeito sobre o caso – além de pessoas de fora que estão sendo sondadas. A questão central é a atual fragilidade que hoje o cargo apresenta: a avaliação do governo é ruim (aferida em pesquisas de consumo interno); os espaçamentos internos em disputa, fomentando um impressionante autofagismo gerencial e a desconexão entre secretarias, tornam o exercício da chefia de gabinete mais trabalhosa, requerendo grande habilidade de articulação.

Além da vacância, proposital ou não; novas trocas (novamente por imposição judicial) estão a caminho. A gestão entrará no seu 18º mês, caminhando para, em breve, atingir a metade de seu tempo de validade, e ainda sem apresentar uma identidade própria, uma marca. Darci e seus comandados mais diretos, mostram – na prática – a diferença entre campanha e gestão (o distanciamento entre teoria e prática). Soa estranho uma gestão não ter o segundo posto mais importante do Poder Executivo (com o prefeito no cargo) por mais de um mês? Para bons entendedores isto diz muito. 

Procura-se um chefe de gabinete. Interessados, favor dirijam-se ao Palácio do Morro dos Ventos.  

1 Comentário

  1. Ao invés dele procurar chefe de gabinete ele têm o que abrir as vagas de emprego prometido na campanha passado se quase dois anos de gestão e nada ele faz é se esconder das pessoas que vão procurar prá cobrar as promessas feitas em campanha.

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*