PT do Pará “junta os cacos” e tenta renascer para a disputa ao Palácio dos Despachos

Compartilhe nas redes sociais.

Mantendo a sua cultura interna democrática, o PT realizou nos dias 7 e 8 de dezembro em seu Diretório Estadual, encontro político que decidiu rumo à unidade pela construção de uma Frente de Esquerda para disputar o Pleito 2018. Paulo Rocha, senador da República foi escolhido como pré-candidato ao governo do Estado e o deputado federal Zé Geraldo, como pré-candidato ao Senado Federal.

O Diretório também aprovou a construção da Frente de Esquerda com PCdoB, Rede e PSOL, por unanimidade. Apesar de ter sido tranquila na parte de análise de conjuntura e na estratégia de lançar uma candidatura própria ao governo do Estado, nas entrelinhas, o racha em três candidaturas já sinalizava o clima de disputa que impedia a unidade partidária de outrora.

Foram montadas no final para definir o futuro político da legenda duas chapas: uma composta pelo ex-prefeito de Ipixuna, Evaldo Cunha e o ex-deputado federal, Cláudio Puty, para disputar com o senador Paulo Rocha e o deputado federal Zé Geraldo, que obtiveram 53,44% dos 56 filiados que participaram do encontro, tornando-se vitoriosos.

A questão central é que o resultado trouxe mais incerteza ao futuro político-eleitoral da legenda. Paulo Rocha na condição de concorrente ao governo do Pará levanta questionamento: seu compromisso com a campanha. Rocha, entre todos os petistas, é o mais próximo dos Barbalho. Portanto, haveria espaços para suposições de apoio automático do PT (ou pelo menos parte do partido) ao PMDB em um eventual segundo turno. Ou até mesmo em primeiro turno, a exemplo de 2014, como fontes de dentro do partido garantiram ao blog. Caso perca a disputa, Paulo reassume a cadeira de senador para mais quatro anos de mandato, portanto, não lhe impede de acertar acordos. 

Sem dúvida, o resultado alegrou o PMDB paraense. O nome que devia ser evitado era de Cláudio Puty, desafeto declarado dos Barbalho, o que poderia dificultar qualquer aliança na disputa eleitoral do próximo ano.

Leia abaixo a resolução na íntegra:

“Resolução Política do Diretório Estadual do Partido dos Trabalhadores do Pará sobre Tática Eleitoral”

“O Diretório Estadual do Partido dos Trabalhadores no Pará, reunidos nos dias 7 e 8 de dezembro de 2017, delibera pela participação da construção de Frente Popular, democrática, de esquerda, anti-golpe e de oposição aos governos Temer e Jatene.

 O PT Pará coloca-se a disposição para o diálogo programático com o PCdoB, PSOL, REDE, entre outros partidos do campo democrático/popular e com as forças sociais que venham se integrar a essa Frente, apresentando os nomes dos companheiros Paulo Rocha para governador e Zé Geraldo para o senado, respeitando os interesses de cada um, conjuntamente decidirão a composição da chapa majoritária.

Fica à Executiva Estadual com a tarefa de conduzir os diálogos internos no sentido de construir uma chapa proporcional forte, que possibilite ampliar as bancadas do PT tanto no âmbito federal quanto no estadual.

Belém, 8 de dezembro de 2017.

Diretório Estadual do PT Pará”.

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*