Roque Dutra, o novo Chefe de Gabinete da “Gestão do Improviso”

Compartilhe nas redes sociais.

No dia 24 de maio do ano corrente, Edson Bonetti, desligava-se do cargo de Chefe de Gabinete da Prefeitura de Parauapebas. A saída foi forçada, ocasionada por solicitação judicial. À época, a nota emitida pela assessoria de comunicação afirmava que o adjunto, Orlando Andrade, seria efetivado no cargo, o que na prática nunca aconteceu.

Em conversa reservada, pessoas próximas ao mandatário municipal, afirmaram ao blog que a questão seria resolvida em curto espaço de tempo, ou seja, em no máximo 15 dias, o cargo estaria ocupado. Não foi nomeado ninguém, e nem o adjunto tornou-se titular.

Somando os dias da data do desligamento de Bonetti (24 de abril) e a data que Roque Dutra assumirá o segundo posto mais importante da hierarquia da administração pública municipal (com o prefeito no cargo), a próxima sexta-feira (10); passaram-se 116 dias de vacância do referido cargo, quase 1/3 do ano corrente. Tempo elástico e que coloca em xeque o nível de organização e planejamento da gestão do prefeito Darci Lermen, a que chamo de “gestão do improviso”.

O novo titular do gabinete terá muito trabalho. A começar com o processo de organização interna: a relação entre secretarias (em uma gestão escancaradamente feudal no tocante a sua organização); terá que promover maior agilidade; gerenciar conflitos por conta de muitas secretarias já estão quase sem recursos (isso ainda em agosto); melhorar a articulação endógena e com a Câmara de Vereadores. Portanto, haverá muito trabalho ao novo chefe de gabinete. Roque é um agente político conhecido e com experiência comprovada.

Resta saber se o novo chefe de gabinete terá verdadeiramente autonomia de exercer as obrigações e articulações que o cargo exige. Em uma gestão em que o parlamentarismo é o modelo escolhido; e que o chefe de gabinete tem menos poder de comando do que secretário (com conivência do prefeito) a conhecida competência de Roque estará à prova. Pelo bem do castigado município de Parauapebas, resta-nos torcer para que o governo saia da inércia e desejar sorte a Roque Dutra. Ele irá precisar.

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.