A luz vermelha (Que não é a do PT) está acesa no Palácio do Planalto

0
5
Não precisa ser especialista em política, ter formação
acadêmica na área, para perceber e entender que o governo Dilma vive momento
difícil, decisivo e preocupante. A atual conjuntura econômica (Que por si só já
colocaria o governo em situação delicada) é o foco do desgaste, além disso as
denúncias de corrupção na Petrobras, reforçada com a exposição da mídia contra
o governo e o PT, fizeram a popularidade da presidenta Dilma cair 21 pontos em
dois meses.
Na virada do ano, a presidenta tinha 42% de aprovação
(Ótimo/Bom); 37% (Regular) e 20% (Ruim/Péssimo), dados do Instituto Datafolha.
Cenário que todo governante recebe com tranquilidade, algo controlado,
administrável. Isso se apresentava antes da reforma ministerial e as medidas
que o governo federal se viu na obrigação de adotar.
Os novos números sobre a popularidade de Dilma foram
atualizados. A presidenta despencou de 42% para 23% (Ótimo/Bom). Isso por si só
faz qualquer governante levantar da cadeira e andar em círculos. Para piorar o
índice de ruim/péssimo que era de 20% saltou para 44%. Ou seja, o cenário se
inverteu.
A luz vermelha está acesa no Palácio do Planalto. E não há
garantias que a queda-livre da presidenta, cesse. A crise política de seu
governo poderá fomentar novas quedas. Os assessores palacianos devem ficar
diuturnamente aflitos. O que fazer? Como reverter?
Sinceramente não vejo melhoras em curto prazo. O governo
precisa continuar com as medidas de austeridade (Que são necessárias) e aos
poucos buscando melhorar os índices econômicos. Jogo de paciência. Todos sabiam
que 2015 seria um ano difícil para o governo. Sabiam que Dilma estaria com sua
popularidade baixa. Talvez, ai concordo, não se esperava que se despenca-se
tanto em 60 dias os índices de aprovação. Pelos números do Datafolha podemos
dizer que o governo Dilma tornou-se impopular, pelo menos, temporariamente.
O PT e o governo precisam mudar a estratégia política. A
primeira seria confrontar a mídia e sua campanha para desgastar ambos. Segundo,
seria a reaproximação com as massas, via movimentos de classe e sociais. Essas
medidas poderiam melhorar a imagem de Dilma de forma instantânea.

Nesse cenário podemos listar: erros do governo; papel
político do judiciário e a militância da mídia para derrubar o PT e levar junto
o governo. A história brasileira nos mostra que índices de popularidade baixos
criam vias para derrubadas e golpes, aliado com a falta de apoio no Congresso
nacional. Dilma convive com as duas prerrogativas. Por isso a luz vermelha está
acesa no Palácio do Planalto e pela primeira vez, não é a do PT.

Deixe uma resposta