Análise da Pesquisa Doxa a Prefeitura de Belém

0
334

A temporada das pesquisas eleitorais começou. O Instituto Doxa – por encomenda do Portal Roma News – divulgou os números de seu primeiro levantamento estatístico para saber o atual cenário na disputa pela Prefeitura de Belém. Alguns números já eram esperados, como, por exemplo, a liderança com folga do deputado federal Edmilson Rodrigues.

O citado parlamentar já governou a capital paraense por dois mandatos e nas últimas duas disputas perdeu para o atual prefeito Zenaldo Coutinho (PSDB). Rodrigues é o típico caso do político que está sempre em evidência. Intercala disputas eleitorais a cada dois anos, ora para renovar o mandato em Brasília; ora para tentar retornar ao Palácio Antônio Lemos, o que lhe garante visibilidade e mantém a sua musculatura eleitoral de forma intermitente.

A pesquisa evidencia ou confirma o que se sabe: o cenário eleitoral até o momento é complicado para os tucanos. Diferente de outros anos, agora não se tem o auxílio da poderosa máquina estadual. A péssima avaliação que Coutinho possui de seus dois mandatos, considerados péssimos pela maioria dos beleneses, dificulta a escolha de seu sucessor. O ungido poderá ser “de fora” do ninho tucano. Dentro deste expecto, a pesquisa em questão, apontou nos formatos Estimulado e Espontâneo, que o ex-governador Simão Jatene se consolida na segunda posição.

Recentemente o Blog tratou desta questão sobre a escolha de Zenaldo. O atual prefeito não quer Jatene como candidato. Sabe que se o ex-governador estiver na disputa, se fortalece para 2022, dificultando a possibilidade de Coutinho concorrer ao governo do Estado. A ele restaria – como sobrevivência política – retornar ao parlamento federal. Sobre a questão: “Zenaldo x Jatene. Em jogo 2022” (Leia aqui).

Em terceiro lugar (nas duas modalidades de levantamento de dados) aparece o deputado federal Éder Mauro (PSD). Sua posição é justificada por ser o representante de maior envergadura política do bolsonarismo, no Pará, em especial em Belém; por isso, mantém certa margem de intenção de voto, consolidada na base de apoio do presidente da República. Por outro lado, o parlamentar em questão possui o maior índice de rejeição entre os nomes apresentados na pesquisa, com 13,7%. Informações conseguidas pelo Blog, apontam que Eder Mauro deverá sair do PSD, e possivelmente nem deverá concorrer à PMB, por não conseguir viabilizar sua candidatura internamente na legenda. A ver. Ainda sobre a questão de rejeição, o ex-governador Simão Jatene aparece em segundo (12,1%), com Edmilson Rodrigues em terceiro (7,4%).

A atual secretária de Cultura do Pará, Úrsula Vidal aparece – como esperado – bem colocada na pesquisa. Consolidou-se na quarta posição. Como já é de conhecimento de todos, inclusive com post no Blog: “Uma opção a menos” (Leia aqui) Vidal não irá concorrer. Apontava-se que ela poderia ser a aposta do governador, mas a citada perdeu o prazo para se desincompatibilizar do cargo que ocupa. Pelo menos, essa foi a versão oficial dos fatos.

Entre os nomes que aparecem com intenção de voto no pelotão inferior, o nome do deputado federal Cássio Andrade é o mais bem colocado. Segundo fontes, seu nome está muito bem cotado na mesa do prefeito Zenaldo Coutinho. Seria a opção exógena do alcaide belenense para barrar o possível ímpeto de Jatene.

No formato espontâneo, o deputado federal José Priante (MDB) aparece com apenas 0,9%. Ele seria uma opção do governador. Mas fontes palacianas afirmam que essa possibilidade (de apoio do governo) é praticamente nula. Helder não quer arriscar. A PMB é uma prioridade ao mandatário estadual. A ordem é encerrar o ciclo tucano e aliados no Palácio Antônio Lemos.

Por ser a primeira e ainda tendo um longo caminho a percorrer (com a alteração do calendário eleitoral por conta da pandemia), alterações virão. A exemplo é o alto índice entre o total de entrevistados (800) que afirmaram: Não Sabem Responder (55,9%) e os que indicaram que votariam Branco e Nulo (17.9%). Isso no formato espontâneo. Já na estimulada, Brancos e Nulos aparecem com 12,3% e 17% Não Souberam Responder.

A Doxa deu o ponta-pé inicial. Será que desta vez Edmilson Rodrigues conseguirá se eleger prefeito? Ou o início desta disputa seguirá o ritmo das anteriores, em que o candidato do Psol liderava com folga e sempre chegava em segundo? Ou desta vez os “ventos” são favoráveis a Rodrigues? Ainda falta definir os apoios de Zenaldo Coutinho e Helder Barbalho.

Deixe uma resposta