Aos poucos o Palácio do Planalto começa a equilibrar o jogo com o PMDB

Compartilhe nas redes sociais.

Aos poucos, em doses homeopáticas, o governo Dilma, começa a
sair do canto e ganhar espaço na arena política com a base aliada,
especialmente o PMDB. A ida do vice-presidente Michel Temer para a articulação
política do governo – de certa forma – enquadrou o PMDB em sua postura, muitas
vezes, contra o governo, sendo governo.
Temer estando como vice-presidente e chefiando as relações
políticas do Executivo, deve-se fazer valer do cargo que ocupa no governo e
diminuir ou enquadrar o próprio partido em relação a postura que vem tomando. A
voracidade peemedebista por cargos e espaços nos governos, sempre foi
espantosa, desde das épocas de FHC e Lula. Mas aumentou muito no 2º mandato de
Dilma e com a presidência de Eduardo Cunha na Câmara dos Deputados.
Agora o governo nomeia para o Ministério do Turismo,
Henrique Alves, ex-presidente da Câmara, peemedebista que tornou a vida do
governo bem mais fácil, quando chefiou o legislativo federal. Alves é da ala do
PMDB bem mais próxima ao Palácio do Planalto e que deverá juntamente com Temer,
criar um “bloqueio” a favor do governo e acalmar o partido.
Se essa for a tática de Dilma e seus estrategistas
políticos, será válido e dará ao governo mais condições políticas de enfrentar
a turbulência econômica que ainda poderá durar muitos meses. Restabelecer a
governabilidade é uma questão de sobrevivência para o governo Dilma, que
semanas atrás começou a assistir do Palácio do Alvorada a sua base política
ruir no Congresso Nacional com as manobras de Eduardo Cunha.
Cabe a “dupla” salvadora do governo, reconstruir as relações
de Renan Calheiros com o executivo. O presidente do Senado Federal, sempre
manteve o controle sobre a oposição, facilitando a vida do Palácio do Planalto.
A preocupação sempre esteve na Câmara.

Se Temer e Alves conseguirem enquadrar o PMDB e restabelecer
a governabilidade favorável ao governo, a estratégia de Dilma deu certo. Isso
tem um preço: tornou o PT, linha auxiliar do executivo e mostrou a força
peemedebista possui, pois parece só haver um forma de combater o PMDB: com o
próprio PMDB.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta