Éder Mauro, mais um “Messias” que começa a surgir na política paraense

Compartilhe nas redes sociais.

Bastou os índices de violência explodirem na Região
Metropolitana de Belém (RMB), especificamente na capital, que o nome do
delegado de polícia, hoje deputado federal, Éder Mauro (PSD) começasse a ser
cogitado para as próximas eleições municipais. Corre o boato que o próprio já se coloca na
condição de pré-candidato ao Palácio Antônio Lemos em 2016.
Em pesquisas preliminares, de bastidores, chamadas de
“consumo interno” de partidos, o nome de Éder Mauro vem aparecendo bem
posicionado, em algumas consultas, chega a liderar, mesmo com nomes consagrados
de nossa política como Edmilson Rodrigues (Psol) e do ex-prefeito Duciomar
Costa (PTB). O atual prefeito, Zenaldo Coutinho (PSDB) deverá disputar a reeleição
(a última com o fim desse dispositivo, mas que está no cargo manteve o direito). A questão é que em todas as
pesquisas realizadas, Zenaldo aparece sempre longe dos primeiros, inclusive
sendo o último em uma dessas consultas. O tucano sofre alta rejeição. Sua gestão é
muito criticada e por incrível que possa parecer, vem provocando sentimento de
saudade na população em relação ao seu antecessor, o ex-prefeito Duciomar Costa (PTB).
A disputa pela prefeitura de Belém em 2012, teve entre seus
candidatos o radialista e apresentador Jefferson Lima (PP), que disputava
naquele momento a sua primeira eleição. Lima se apresentava com o salvador, o
verdadeiro Messias, andava pelas periferias da cidade, vendendo sonhos e
promessas. Afirmava que faria diferente, iria governar para as pessoas que
estão à margem do poder público. Com esse perfil messiânico, Jefferson Lima
obteve mais de 99 mil votos, ficando em terceiro na disputa.
Esse perfil de candidato não é algo novo, não se apresenta
como novidade. Sem existiu e existirá. Política é isso. É a arte do
convencimento. Ele se sustenta e se torna competitivo quando ocorrem crises e o
descontentamento, a desilusão com a política ou com quem governa cresce.
Aparecem para mostrar que farão tudo ao contrário e conseguirão atender a todas
as demandas.
Dessa forma, vem se apresentando o deputado Éder Mauro (PSD)
que obteve na última eleição mais de 265 mil votos, sendo o mais votado da
bancada paraense. Por ser delegado de polícia tem como plataforma política o
combate ostensivo contra a violência e mudança na leis para endurecer penas.
Compõe a chamada “Bancada da bala” no Congresso Nacional, composta por
parlamentares que vieram da segurança pública de seus estados.
Éder Mauro sabe que a questão da violência domina o país e
aterroriza a todos os cidadãos. Sabe também que essa temática tornou-se de
grande urgência e quem discursa ações para combater a violência agrega votos.
Nessa lógica deverá aproveitar a oportunidade e se lançar na disputa pela
prefeitura de Belém em 2016, com reais chances de vitória. A capital do Pará
está tomada pelo medo e pela onda de crimes. Ter um delegado prefeito faz a
cabeça de muitas pessoas.

Pelo visto, a disputa pelo Palácio Antônio Lemos, a exemplo
de 2012, com Jefferson Lima, deverá ter mais um candidato “Messias”, que se
apresentará como o salvador e quem poderá – realmente – resolver os problemas,
especialmente dos que mais precisam. A bola da vez é o deputado federal Éder
Mauro.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta