Em qual Darci Lermen, acreditar?

Compartilhe nas redes sociais.

Darci Lermen, ex-prefeito de Parauapebas, município que
governou por dois mandatos (2004-2008 / 2009 – 2012) é, sem dúvida, hoje, o
maior personagem político da “capital do minério”, uma figura que reúne amor e
ódio, que vai do céu ao inferno, carrega consigo grandes admiradores e
fervorosos críticos, tudo isso concretizado ou construído através dos seus dois
mantados à frente do Palácio do Morro dos Ventos.
Não é novidade e corre em todos os lugares, em todas as
esquinas da cidade que o ex-prefeito petista, agora no PMDB, realizou um bom
primeiro mandato, lhe garantindo uma reeleição tranquila sem grandes sustos. Na
mesma direção, Darci carrega a “mancha” de um segundo mandato ruim, bem abaixo
do esperado e que foi o responsável pela derrubada do projeto de poder do PT na
cidade. Essa dicotomia alimenta o imaginário popular e forma opinião sobre
Darci Lermen. Concomitantemente a isso, no período do segundo mandato de Darci,
a prefeitura batia recordes de arrecadação, por conta da alta cotação do
minério de ferro no mercado internacional, quando chegou a 150 dólares. E o que
foi feito na cidade nesse período? Esse é o maior carma do ex-prefeito e lhe
custou e ainda custa muito eleitoralmente.
Em 2016, depois de quatro anos longe de Parauapebas, na
Bahia, Darci retorna à “capital do minério”, buscando retornar ao poder. Para
isso, deixou o combalido PT e buscou fortalecer a sua candidatura, por isso a
ida ao maior partido do Brasil, o mais municipalizado do Pará: PMDB. Ainda é cedo
para qualquer diagnostico em relação a essa troca partidária. De que forma ela
altera o processo eleitoral e como impacta as pretensões eleitorais do
ex-prefeito? 
Não há dúvida que a troca tem claramente objetivo eleitoral. Com
ele, Darci conseguiu novos e poderosos aliados como os Barbalhos e Chamões,
consolidando uma grande estrutura de campanha, o que a permanência no PT não
poderia lhe garantir. No que tange à política de aliança que Darci Lermen está
“costurando”, já há grande polêmica e isso poderá lhe tirar votos.
O que se sabe até o momento é que Lermen lidera as pesquisas
(consideradas consultas pela falta de cumprimento de ritos legais junto à
justiça eleitoral), com certa vantagem em relação aos concorrentes. Em algumas
destas consultas de opinião, o mesmo Darci lidera ao contrário, com forte
rejeição. Portanto, ainda é muito cedo para afirmações ou empolgações.
O ex-prefeito em suas entrevistas não cansa de repetir que,
se ganhar a disputa, fará a melhor gestão que Parauapebas já viu. Afirma também
que aprendeu muito com os erros e que não os repetirá, está mais experiente,
depois das suas duas passagens pelo Palácio do Morro dos Ventos. Não há dúvida
que Darci Lermen tornou-se a personalidade política mais polêmica e de maior
popularidade nestes 28 anos de Parauapebas.
A disputa pelo Palácio do Morro dos Ventos e seu orçamento
bilionário, vai desencadear volumosos investimentos. Os custos da disputa
eleitoral deverão ser as mais caras já vista, igualando a de Belém ou até
passar os gastos da capital do Pará (haja vista o menor poder fiscalizatório
pela estrutura do poder Judiciário em cidades menores).
A questão central e que norteou este texto é justamente a
dúvida: em qual Darci acreditar? No perfil empreendedor de grandes
transformações e realizações do primeiro mandato ou o gestor acomodado e sem
planejamento do segundo? Façam suas apostas.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta