Operação para salvar Temer

Compartilhe nas redes sociais.

 Matéria publicada na
noite desta quinta-feira (7) pelo site de “O Globo” confirma que o
presidente interino Michel Temer atuou para salvar Eduardo Cunha, que anunciou
mais cedo sua renúncia da presidência da Câmara.  
“O acordo que possibilitou a renúncia do deputado
afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) à presidência da Câmara consistiu em lhe dar
uma sobrevida ao fazer com que seu processo retorne ao Conselho de Ética. Em
uma articulação da qual participaram o presidente interino, Michel Temer, o
presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), Osmar Serraglio
(PMDB-PR), além de outros parlamentares do PMDB e de partidos da base, ficou
decidido que, em troca da renúncia, o processo de cassação do mandato do qual
Cunha é alvo será devolvido, de ofício, ao Conselho”, informa o jornal da
família Marinho. Segundo “O Globo”, “o acordo foi fechado na
noite de quarta-feira”.
Logo após anunciar sua renúncia, nesta quinta, Cunha se
dirigiu à CCJ, onde protocolou um aditamento pedindo que seu processo seja
devolvido ao Conselho de Ética, argumentando que seu julgamento no colegiado
ocorreu levando em conta que ele presidia a Câmara, situação que agora mudou. O
ofício será encaminhado ao relator do processo de Cunha na CCJ, deputado
Ronaldo Fonseca (PROS-DF), que dará parecer favorável ao pedido para devolvê-lo
ao Conselho de Ética. Logo após, Osmar Serraglio, deverá dar despacho favorável
à devolução do processo, confirmando a articulação feita com a participação de
Temer.
O Globo diz ainda que “para os participantes da
articulação, está claro que a manobra não salvará Cunha da cassação do mandato,
mas lhe dará uma sobrevida para trabalhar em sua defesa no Supremo Tribunal
Federal (STF) e negociar uma saída para sua mulher, Cláudia Cruz, também ré na
Lava-Jato, e sua filha Danielle Dytz, investigada na operação”.
O jornal explica o motivo da atuação de Temer: “Há uma
forte preocupação, tanto no Palácio do Planalto, quanto entre os parlamentares,
com a possibilidade de Cunha passar a tomar “atitudes desesperadas” para
proteger sua família e a si mesmo. Foi para aliviar este cenário que foi
costurada a solução da renúncia em troca da devolução de seu processo ao
Conselho de Ética”.

Fonte: 247 (Com adaptações)

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta