Parauapebas sem a costumeira ostentação natalina

Compartilhe nas redes sociais.

Tornou-se praxe na “capital do minério” volumosos gastos na ornamentação natalina da cidade. Sem quase atrativos de entretenimento, os enfeites de natal acabaram por se tornar ponto turístico, locais de muitas visitações da população. O canteiro central da PA-275 em sua extensão que vai da portaria da Vale até a rotatória do shopping fica – todos os anos – bem iluminada neste período natalino.

Ano passado, por exemplo, os gastos com a decoração natalina chegaram a 1,5 milhão de reais. Neste ano, os gastos que foram divulgados antecipadamente, chegariam a 2 milhões de reais. Logo que a notícia da decoração natalina se espalhou, o Ministério Público entrou no processo, emitindo nota pública, recomendando que fosse cancelado tal procedimento, haja vista, a caótica situação das finanças públicas do município.

Então a prefeitura municipal decidiu reaproveitar os materiais de decoração dos natais passados. Com o reaproveitamento e usando a mão de obra própria, a prefeitura municipal de Parauapebas economizará mais de dois milhões de reais, valor em penhado para a execução do serviço. Na semana passada iniciou a montagem da ornamentação, agora sem ostentação, mais simples e sem custo ao combalido cofre público.

Se, novamente, como virou praxe, após o resultado das eleições de 2016, o Ministério Público na figura do promotor Hélio Rubens, não interferisse diretamente no processo, dois milhões de reais iriam serem gastos em ornamentação natalina, em um município que vive grave crise econômica, por exemplo, com a falta de medicamentos para a população, mesmo com um dos maiores orçamentos públicos do norte do Brasil.

 

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta