Prefeito Valmir finalmente pode ter acertado na articulação política

Compartilhe nas redes sociais.

“Minha perspectiva de trabalho é construir uma relação mais harmoniosa entre os poderes Legislativo e Executivo”. E com essa frase que Wanterlor Bandeira se apresentou ao assumir a chefia de gabinete do prefeito Valmir Mariano (PSD), nomeado no último dia 30. Bandeira será o quarto a assumir tal função, a segunda de maior importância na estrutura de poder do Executivo.


Wanterlor está há 14 anos no serviço público com trabalhos realizados na Justiça do Trabalho, na Câmara Municipal, nas funções de vereador, diretor administrativo e diretor legislativo; além de coordenador administrativo da Secretaria Municipal de Obras e assessor de Gabinete do Executivo. Ou seja, o seu currículo o credencia, pelo menos, na teoria a entender das “engrenagens” e atribuições do cargo.

Em outra frase: “Nossa ideia é construir caminhos, pontes para que o governo municipal possa, de fato, desenvolver as políticas públicas que a população de Parauapebas precisa”, Wanterlor reforça como irá trilhar o caminho ou recolocar nos trilhos a relação política entre o Palácio do Morro dos Ventos e a Câmara Municipal de Parauapebas. Wanterlor está há 14 anos no serviço público com trabalhos realizados na Justiça do Trabalho, na Câmara Municipal, nas funções de vereador, diretor administrativo e diretor legislativo; além de coordenador administrativo da Secretaria Municipal de Obras e assessor de Gabinete do Executivo.

Sempre costumo dizer a quem converso, se você acha ruim a articulação política do governo Dilma (o que de fato é), precisa analisar articulação do governo Valmir, que praticamente, não existe. O reflexo está – assim como em Brasília (guardadas as devidas proporções) na péssima relação entre os poderes e sucessivas derrotas dos governos citados.

Além de trabalhar diretamente com o prefeito, assessorando-o, o Chefe de Gabinete tem como função realizar as atividades de coordenação político-administrativa das unidades da prefeitura, das relações dessas unidades com o prefeito, recepcionar e atender autoridades e municípios, marcando audiências ou encaminhando os problemas para serem solucionados, além de preparar o expediente do gabinete a ser submetido à apreciação do prefeito, compor despachos, representar o prefeito em atos oficiais, quando designado, ou qualquer outra atividades correlata determinada pelo chefe do Executivo.

Wanterlor, conhece bem os caminhos para restabelecer a base do governo Valmir, que atualmente está em pedaços (o que quase custou o afastamento do mandatário municipal) e deverá buscar, como vem afirmando em seus pronunciamentos essa reestruturação. Mas tudo depende das decisões do prefeito. Aí está o perigo, justamente nas promessas que, como se sabe bem, não são cumpridas. Sem o apoio do prefeito, Bandeira poderá ter suas pretensões derrubadas facilmente.

Na próxima sessão da Câmara Municipal já poderemos analisar, ainda superficialmente, como foram feitas as articulações realizadas pelo novo chefe de gabinete do prefeito, buscando o objetivo maior: recolocar o governo em mar calmo, afastando-o de qualquer tempestade. O maior desafio de Wanterlor será o próprio chefe, o prefeito Valmir Mariano. Vamos aguardar.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta