Simão Jatene foi vender fantasias e sonhos de segurança pública em Doha e Cambridge

Compartilhe nas redes sociais.

Neste final de semana o governador Simão Jatene (PSDB)
desembarcou nas cidades de Doha (Qatar) e Cambridge (Inglaterra), para
participar e palestrar no 13º Congresso da ONU para a prevenção do crime. Nas
ocasiões, Jatene irá apresentar o Pro-Paz (Programa social e – na teoria – visa
criar uma “cultura de paz” nos bairros de maior risco social). Em seu mandato
passado, Jatene viajou para outras partes do mundo, foi, por exemplo, a China,
onde palestrou sobre gestão pública.
Inegavelmente os tucanos (em todos os níveis de gestão) são
mestres em marketing e propaganda. Admiro essa qualidade de vender sonhos e
mudar cenários reais que o PSDB possui. Não por acaso governam o Pará há quase
duas décadas, 16 anos consecutivos. Além de venderem uma realidade que não
existe dentro do território paraense, agora a exportam para várias partes do
mundo.
Fico imaginando o que os participantes do Congresso deverão
pensar e achar sobre o estado do Pará. Jatene deverá se autopromover e mostrar
(de forma fantasiosa) os avanços que a sua gestão em 12 anos conseguiu. Deverá
encantar os “gringos”.
Mas quem mora no Pará sabe que a realidade e as peças
publicitárias tucanas não bem diferentes e distantes. Enganam alguns, mas a
maioria sabe que entre o Pará “real” e o “virtual” (tema de um texto escrito em
2013 no blog) há um longo caminho.
Jatene poderia mostrar no encontro que o seu governo bateu
recordes negativos de investimentos e que mesmo arrecadando mais, fechou as
contas no limite. Poderia, também mostrar o caos que vivemos nas áreas:
segurança pública, saúde e educação. Jatene deveria ser justo e verdadeiro, mostrar, por exemplo, os desafios de governar um estado de dimensões
continentais como o Pará.
Mas, focará nos dados do Pro-Praz e os balancetes bem
“preparados” do programa para os “gringos” verem e acompanharem. E o que – de
fato – o referido programa transformou a realidade social dos locais onde estão
situados? A tão propagada “Cultura de paz” está sendo instaurada ou é mais uma
promessa que não se torna realidade?
Doha e Cambridge irão conhecer o Pará fantasioso, dos dados
estatísticos que não refletem a realidade, especialmente na área da segurança
pública, o maior desastre da dinastia tucana no Pará. O que seria do PSDB sem o
marketing e propaganda?

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta