Blocos e shows fecham os portões da folia em Parauapebas

0
5

Quarta-feira de cinzas chegou, deixando em Parauapebas um rastro de cinco dias de muita alegria e colorido na Praça de Eventos, a partir de sexta-feira, 21, com a escolha da Musa do Carnaval, Mel Silva, no Centro de Desenvolvimento Cultural (CDC), numa parceria entre a prefeitura e a Liga das Escolas de Samba e Blocos Carnavalescos e Região (Liabespr).

Nesta terça-feira, 25, a musa estava lá com o samba no pé. Os portões da folia foram fechados por 12 blocos, shows de músicos locais e apresentação da Banda Som de Alerta. “Muito bom o carnaval de Parauapebas, está de parabéns. Trouxe minha família em peso, meus filhos, meus netos e tudo mais”, vibrou o mototaxista Laurêncio Paiva Soares, mostrando que o carnaval parauapebense vale para toda a família. É claro que até certas horas, quando é permitido, por exemplo, que crianças se apresentem no palco da nossa gente.

Foi assim com o trio formado por três garotinhas, duas com o nome de Ana Beatriz e a Joyce Kelly, que durante quatro semanas ensaiaram e arrebentaram na dança, numa felicidade só. Enquanto isso, os foliões foram chegando aos poucos na Praça de Eventos, onde policiais militares e civis e guardas municipais garantiam a segurança dos carnavalescos, conforme programado com a Secretaria Municipal de Cultura (Secult). E tudo deu certo já que nada de grave foi registrado na área carnavalesca.

Por volta das 21 horas, o primeiro bloco passou pela avenida para mostrar que o esporte é um importante instrumento para a transformação social. O “Barca da Bola” levou atletas de várias modalidades esportivas e o pessoal da terceira idade que não dispensa uma boa zumba.

Entre outros blocos de destaque, o Bicho Papão, Cala a Boca e Me Beija, Samurai, Me Completa, que condenaram a violência contra a mulher, destacaram o turismo de Parauapebas, enalteceram a solidariedade e, principalmente, brincaram muito. E assim a cada passagem de um bloco a avenida ia ficando cada vez mais animada, para encerrar somente na madrugada já com os shows musicais.

Carnaval também é renda

Para a preparação do carnaval em Parauapebas, foram vários meses de organização. Porém, a preocupação da prefeitura não se limita a garantir uma boa diversão na cidade num curto período, mas fazer com que a festa momesca movimente a economia ao longo do ano, para geração de mais emprego e renda no município.

“Nós estamos muito contente com os resultados, que a gente acompanhou durante esses meses. Esses quatro dias são apenas a culminância de um trabalho que vem sendo desenvolvido pelas escolas de samba dentro das suas comunidades, gerando emprego, distribuindo renda, por cooperativas, com empresas de camiseta produzindo abadás”, pontuou o secretário municipal de Cultura, Saulo Ramos.

Segundo o titular da Secult, quase 90% do valor investido no carnaval ficaram na cidade. “Então, a prefeitura cumpre o seu papel que é de gerar rendas, gerar oportunidades”, assinalou ele, que agradeceu a todos os envolvidos com a organização do carnaval. E conforme acrescentou Saulo Ramos: que venha 2021, para Parauapebas continuar apresentando um dos melhores carnavais da região.

Informe Publicitário: Texto: Hanny Amoras e Fotos: Irisvelton Silva e Felipe Borges.

Deixe uma resposta