Ciro Gomes e o caminho da moral

1
0

Na disputa presidencial que se aproxima, Ciro Gomes não decola nas pesquisas. Estacionou na faixa do primeiro dígito, e não há perspectivas de crescimento que o leve ao 2º turno. Sua chance real de vitória se baseia – na prática – na saída de Lula da disputa (o que não deverá não ocorrer, mesmo sendo condenado, pois a defesa do ex-presidente deverá travar longa disputa nos tribunais) e a declaração de apoio do petista.

Mas Ciro, como sempre, se auto sabota. Há um ano vinha alinhando o discurso à esquerda, com críticas construtivas as gestões petistas e muitos ataques ao campo conservador, à direita. Foi ferrenho na defesa dos governos Dilma, sendo ainda um dos mais ferozes (bem ao seu estilo) críticos ao processo de impeachment. Gomes foi um dos primeiros a usar o termo “golpe”, palavra que cunhou bem antes dê-la ser usada no varejo.

Mas Ciro é Ciro. Logo o ex-ministro e ex-governador cearense se voltaria contra o PT e em particular a Lula. Talvez esse foi o seu mais novo erro (de muitos que o seu posicionamento e temperamento produz). Perdeu a simpatia do campo progressista, sobretudo, dos petistas e simpatizantes. Gomes deixou de ser a alternativa a Lula dentro do mesmo campo ideológico, abdicou de ser o “plano B”, caso o nome de Lula não estivesse nas urnas.

Mas nem tudo está perdido. Ciro tem uma “carta na manga”, um posicionamento e discurso que nenhum outro candidato à Presidência da República terá: moral. Em diversas entrevistas sobre Lula, o ex-governador cearense sempre mantém um mesmo discurso: “Lula não rouba, mas finge que não vê”. Gomes afirma que nem o PT e muito menos o PSDB tem moral para falar de corrupção. Jair Bolsonaro vem caindo em desgraça a cada semana com a revelação de suas ações nada moral. Marina Silva é outro caso peculiar. Ciro afirma que a ex-ministra do Meio Ambiente é extremamente fisiológica. Não tem lado, fica em cima do muro. Diz que tudo está podre, e só ela é “santa”. Quem acredita nisso?

A alternativa – talvez a única – do político de Sobral é trilhar pelo caminho da moral na campanha. Aliar a isso a sua competência gerencial e história política. Pelos cargos que ocupou (prefeito, governador e ministro) poderia requerer e receber três aposentadorias, que lhe renderia mensalmente próximo de 100 mil reais. Ciro dispensou todas. Quantos políticos teriam tal postura? Em 25 anos de vida pública não responde a nenhum processo por falta de idoneidade, fato raro na classe política. Ao levantar a questão moral, Ciro em uma só tacada deixará o PT e PSDB em uma situação extremamente desconfortável na campanha.

Poucos tem o preparo do ex-ministro cearense. Ciro tem um grande problema que o persegue há décadas: sua língua. Mas ninguém tem mais moral do que ele nesta seara de corrupção, ilegalidades e falta de ética que domina a política brasileira. O caminho da moral será o seu discurso, resta saber se ele fará diferença na disputa eleitoral? Creio que não.

1 COMENTÁRIO

  1. Ciro Gomes!
    A priori falar sobre Ciro gomes é esclarecer a sua trajetória como político.
    Desde ex prefeito a ministro d ex presidente Lula.
    Neste momento aonde o Brasil ficou perplexo c a condenação do ex-presidente Lula agente ficar pensando em Q candidato vamos votar?
    No caso d ex ministro Ciro Gomes tem uma longa carreira política.então é um pré candidato a presidência q se preparou durante 12 anos pra ocupar a presidência d Brasil.
    Estou á 2 anos pesquisando sua caminhada e pude concluir:
    É o pré candidato + bem preparado p ocupar o cargo d presidência da República d Brasil.
    O blogger foi muito enfático ao afirmar q ele ñ ê um pré candidato sério.pois atacar sistematicamente os adversários +á frente dele.
    Acredito que se ele passar pra o 2°turno os eleitores d ex presidente Lula migraram seu voto p ele.

Deixe uma resposta