Com a decisão do STF, Helder importará três milhões de doses de vacinas

0
602

Com a inércia aliada a incompetência do Ministério da Saúde no que tange a questão da política de vacinação no Brasil, o Supremo Tribunal Federal (STF) formou maioria – seis votos – para autorizar estados e municípios a comprar e distribuir vacinas. Com a decisão, prefeitos e governadores poderão adquirir os imunizantes de forma direta, caso doses do Programa Nacional de Imunização sejam insuficientes ou o processo de entrega demore, o que desencadeia, por exemplo, perda da eficácia para quem já tomou a primeira dose.

Como é sabido, infelizmente, o Plano Nacional de Imunização (PNI) é um desastre. O Brasil não está nem entre os 30 primeiros países na relação entre população absoluta e os que já foram vacinados. Segundo informações do Portal G1, o Pará configura na última posição entre os estados que aplicaram vacina. O quantitativo de imunizante usado até o momento passou de pouco mais de 150 mil, insignificante para uma população de 8,6 milhões, segundo estimativas do IBGE.

Pois bem, a notícia mais esperada pelos paraenses chegou. Ontem, 23, o governador Helder Barbalho anunciou em seu Twitter que o Governo do Pará irá importar imediatamente três milhões de vacinas de todos os laboratórios quer for possível. Segundo o mandatário estadual, o objetivo é vacinar o quanto antes, o maior número de pessoas.

Que fique claro que, a decisão do STF de liberar a compra de imunizantes por prefeituras e governos estaduais, não desobriga a esses entes federativos seguirem os trâmites de segurança para aquisição. Portanto, a vacina adquirida precisa ter sido liberada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) ou por agências que tenham convênio com o Brasil.

Até o fechamento desta matéria, segundo dados da Secretaria Estadual de Saúde do Pará (Sespa), já haviam sido registrados 357.595 casos de infecção do novo coronavírus, com, infelizmente, 8.353 óbitos (31 nas últimas 24 horas). Portanto, tal anuncio feito pelo governador é extremamente importante para que possa salvar vidas.

Como diz o mote do mandatário estadual paraense: “Bora vacinar”.

Deixe uma resposta