Deputada tucana é escolhida como líder do governo na Alepa

0
786

Hoje (02) iniciou a sessão de abertura da 19ª Legislatura da Assembleia Legislativa do Pará (Alepa) para o biênio 2021-2022. O novo presidente, deputado Chicão (MDB) assim como a Mesa Diretora já estavam apostos para a sessão, que, como praxe, teve a presença do governador do Pará, Helder Barbalho (MDB), que levou a mensagem do Executivo aos parlamentares, fez um balanço de sua gestão, além de apresentar metas para 2021.

A surpresa no primeiro expediente ordinário do parlamento estadual se deu na escolha de quem representaria o governo entre seus pares naquela Casa. Cilene Couto (PSDB), filha do ex-senador e ex-deputado (inclusive presidiu a Alepa), Mário Couto, foi escolhida para representar o governo no parlamento. Couto é parlamentar tucana, e sempre esteve muito próxima do ex-governador Simão Jatene, se posicionando inclusive contra o próprio pai, quando este saiu do ninho tucano e atacou o partido.

O distanciamento de Cilene do próprio partido não é uma novidade. Em setembro de 2020, a Alepa reprovou as contas do ex-governador Simão Jatene, referente a 2018, tornando-o, portanto, inelegível. Nenhum dos quatro deputados estaduais do PSDB (Victor Dias, Luth Rebelo, Cilene Couto e Ana Cunha), se manifestaram publicamente na defesa do ex-governador. Ali estava sacramentado o rumo da bancada tucana no parlamento e na relação com o governo.

Fontes contam que a “cara amarrada” registrada na posse do governador Helder Barbalho e do ex-deputado Daniel Santos, quando este assumiu a Presidência do parlamento, é coisa do passado. A tucana vinha gradativamente se aproximando dos Barbalho.

Conforme já analisado pelo Blog em outros artigos, a estratégia do governador Helder Barbalho é justamente minar o PSDB. Primeiro foi dividi-lo, depois desmembrá-lo. O processo de cooptação foi rápido e intenso de seus integrantes. A bancada tucana na Alepa é um exemplo disso, que começou ainda em 2018, quando o hoje prefeito de Ananindeua, Daniel Santos se desfilou do PSDB e depois se filiou ao MDB.

A questão agora é saber: até quando a deputada Cilene Couto, agora líder do governo na Alepa, se manterá no PSDB? Seu destino deverá ser o MDB? No ninho tucano, na atual circunstância, o último que sair que apague a luz.

Deixe uma resposta