Simineral divulga balanço do setor mineral no primeiro trimestre de 2019

Compartilhe nas redes sociais.

Já é senso comum que o Pará é um estado rico em minério. Mas que a exportação da industrial aumentou em 90% nos três primeiros meses de 2019, é novidade. Foi o que o Sindicato das Indústrias Minerais do Estado do Pará (Simineral) informou no boletim da economia mineral do Pará do período de janeiro a março de deste ano.

De acordo com o sindicato, nos três primeiros meses do ano, 90% das exportações do Pará corresponderam às Indústrias de Mineração e Transformação Mineral. Os principais produtos exportados são Minério de Ferro, Cobre, Alumina, Manganês, Bauxita, Alumínio, Níquel, Caulim, Silício e Ouro.

Neste período, o Pará ocupou o 7º lugar no ranking das exportações do Brasil, com destaque para as exportações minerais do Brasil, com 100% das exportações de minério de cobre, 99% das exportações de minério de bauxita, 99% das exportações de minério de caulim, 98,5% das exportações de alumínio, 74% das exportações de minério de manganês, 49% das exportações de minério de ferro, 35% das exportações de alumina calcinada, 32% das exportações de minério de níquel, 17% das exportações de minério de silício, 5% das exportações de Ouro em barra e 4,5% das exportações de ferro gusa.

No primeiro trimestre de 2019, dos US$ 3,803 bilhões de minério de ferro exportados pelo Brasil, o Pará participou com 49% do total (US$ 1,87 bilhão) e Minas Gerais com 48% (US$ 1,91 bilhão). Com relação à indústria de transformação mineral, a exportação foi liderada pela alumina, com US$ 197 milhões em negócios, seguida de alumínio, com US$ 51 milhões, e ferro gusa, com US$ 10 milhões.

A arrecadação da Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (CFEM) do Pará, no primeiro trimestre de 2019, foi de R$ 372 Milhões. Parauapebas, Canaã dos Carajás e Marabá foram os municípios que mais receberam royalties provenientes da indústria de mineração.

O Pará ocupa o 2º lugar no ranking da arrecadação da CFEM do Brasil (Jan-Mar/2019) contribuindo com 42%. Parauapebas (1º), Canaã dos Carajás (2º) e Marabá (9º) foram os municípios que mais receberam royalties provenientes da indústria de mineração no Brasil (Jan-Mar/2019) responderam por 37% da CFEM.

Fonte: Simeral.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta