Encontro Municipal consolida aliança entre Avante e PMB em Parauapebas

0
429

Marcelo Catalão, pré-candidato a prefeito de Parauapebas pelo Avante, e sua pré-candidata a vice, Meire Vaz, do Partido da Mulher Brasileira (PMB), promoveram na noite desta quarta-feira, 9, o 1º Encontro Municipal dos partidos, consolidando a aliança das siglas na cidade do sudeste paraense e reafirmando suas pré-candidaturas.

O evento realizado no Bairro da Paz contou com a presença de centenas de pessoas. Aberta ao público, a reunião teve como objetivo reunir lideranças locais e nacionais dos partidos para discutir os rumos políticos, sociais e econômicos do município.

Na ocasião, Catalão lamentou que a cidade de Parauapebas conviva há tantos anos com escândalos de corrupção, citando o mais recente afastamento do secretário de educação do município, divulgada na última terça-feira, 9, após uma ação do Ministério Público Federal. “Em um momento tão difícil que a gente vive com a pandemia, ainda temos que lidar com corrupção. Isso me entristece. Porque a corrupção tira sonhos, vidas e o desejo de melhorar a nossa cidade”, declarou.

Já Meire Vaz, aproveitou o momento para contar ao povo sobre seu retorno ao cenário político. “Durante esses últimos anos, estive cuidando da minha família e de meus afazeres, mas sempre olhando para fora e notando as necessidades do povo de Parauapebas. Por vezes, fiquei triste ao ver o que estava acontecendo com a cidade que ajudei a construir, quando vice-prefeita em 93 e 2000. Até que chegou no ponto em que falei aos meus familiares que não dava mais para ficar quieta. Se a gente quer mudança, a gente tem que lutar. E é isso que estou fazendo”, contou emocionada.

Lideranças partidárias

Lideranças estaduais e nacionais dos partidos estiveram presentes no Encontro, comentando o cenário político da cidade e se pronunciando acerca da pré-candidatura de Catalão e Meire, como Zezinho Lima, presidente estadual do Avante. Em sua fala, ele pontuou que a pré-campanha de Catalão não é um projeto de empresários ou tão somente de partidos políticos, mas sim, do povo e para o povo de Parauapebas. “Por isso, devemos lembrar que temos três opções: continuar como está, voltar para o passado ou ir para o futuro, e o futuro de Parauapebas se chama Marcelo Catalão e Meire Vaz”, afirmou.

A deputada federal pelo Avante, Leda Sadala (AP), também se manifestou na reunião, destacando que a política deve estar a serviço do povo. “Só é possível transformar a vida das pessoas por meio da política. Mas não adianta entrar na política para beneficiar os interesses pessoais. Eu conheço essa cidade há muitos anos, acompanho a prática dos que estão aí. Mas agora existe uma opção, essa aliança do bem: Avante e PMB”, declarou.

O vice-presidente estadual do Avante, Fabiano Coelho, mais conhecido como Fabico, comentou sobre o potencial de crescimento econômico que a cidade de Parauapebas tem. Para ele, se usado com honestidade e compromisso, a sociedade só tem a ganhar. “Sem corrupção, a cidade vai ficar muito melhor, vai sobrar mais recursos para todas as áreas, ou seja, a vida melhora”, contou.

Outra líder partidária que se fez presente e tratou da importância da boa política para a sociedade, foi Henriette Barros, presidente estadual do PMB. “Eu acredito que política é a arte do bem comum, é vislumbrar para o povo, para quem precisa, para a cidade”, falou. O secretário estadual do Avante do Pará, Arthur Houat, concordou dizendo que política deve ser feita com propósito. “O nosso propósito é melhorar a vida do nosso povo de Parauapebas”, finalizou.

Quem é Marcelo Catalão

Nascido na cidade de Catalão em Goiás, Marcelo já mora em Parauapebas há 34 anos. Vindo de uma família humilde, ele já foi vendedor de picolé, verduras e engraxate quando era criança. Na juventude, participou do movimento pela emancipação da cidade e hoje, com 43 anos de idade, responde por todos os negócios da família, gerando empregos diretos e indiretos no setor do agronegócio na região.

Em 2005, ele foi convidado para assumir a secretaria da Fazenda Municipal, fazendo um trabalho de gestão pública eficiente, colaborando para o crescimento do município. Posteriormente, tornou-se presidente de um dos maiores sindicatos de produtores rurais do Pará, o Siproduz, ampliando a capacidade de produção e venda de bovinos.

Apaixonado pelo município e pensando no crescimento da região, liderou o movimento em prol da criação do Estado do Carajás. Em 2014, disputou o cargo de deputado federal, com interesse em defender e representar o povo de Parauapebas, ficando como suplemente, sendo o candidato mais votado da cidade e microrregião do Carajás.

Em 2016, após vários pedidos de amigos, sindicatos e empresários, Marcelo participou do pleito municipal. Hoje, com mais apoiadores e com o povo ao seu lado, ele é pré-candidato a prefeito e, após a homologação de sua candidatura, seguirá determinado a vencer e acabar de vez com o monopólio dos grupos que comandam a cidade há anos.

Quem é Meire Vaz

Esposa, mãe e pastora com experiência comprovada no desenvolvimento social, Meire conhece os problemas de Parauapebas. Pioneira da cidade e moradora da capital do minério desde 1983, ela já ocupou o cargo de vice-prefeita em dois mandatos em 1993 e 2000.

Em 93, o principal projeto de governo de Meire e o prefeito Chico foi o saneamento do município, algo que não existia até aquele momento. A cidade, que tinha pouco mais de cinco mil habitantes, recebeu um projeto que atenderia até 30 mil pessoas com saneamento básico adequado. O projeto foi essencial para atender a demanda do município que não parava de crescer.

Já em 2005, ao lado de Bel Mesquita, a participação de Meire Vaz foi ainda mais ampliada, pois foi encarregada de dirigir a Secretaria de Assistência Social. Como secretária, ela encabeçou vários projetos sociais.

Hoje, 16 anos depois de se afastar da política, Meire está decidida a voltar a servir a sociedade parauapebense, na certeza de que sua liderança, ao lado de Marcelo Catalão, tem o poder de transformar o município.

Fonte: Assessoria de Comunicação (Daleth Oliveira)

 

Deixe uma resposta