Era Pós-Darci

0
955

Com o fim do processo eleitoral de 2020, este que culminou com a reeleição pela segunda vez do prefeito Darci Lermen (MDB), Parauapebas entrará em um novo ciclo político. A chamada capital do minério irá completar 33 anos de existência e, neste período, Lermen a governou, até aqui, 12 anos, quase 1/3 (sem contar a atual gestão).

A próxima disputa eleitoral a nível municipal ocorrerá em 2024, e será um processo totalmente novo, pois os grandes figurões da política local, como Darci Lermen, Valmir Mariano e Marcelo Catalão não participarão. O primeiro porque não poderá disputar à reeleição; o segundo (como dito pelo Blog em outro artigo, intitulado “Fim da Linha” (leia aqui)) encerrou a sua vida política de maneira melancólica; e o terceiro desidrata politicamente a cada disputa.

Por isso, e não por acaso, que na última disputa alguns nomes novos foram lançados ao Executivo, como: Hipolito Gomes (Patriotas) e Júlio Cesar (PRTB); ambos sem a devida chance de vitória, mas que utilizaram a disputa para se “vender”; estratégia de visibilidade, de olho em 2024. Suas respectivas votações: 7.080 votos (5,2%) e 24.267 votos (20,48%), os colocam em uma posição interessante dentro do tabuleiro político. Claro que, antes, tem a disputa eleitoral de 2022, e ambos precisam se manter “vivos” politicamente, se almejam serem competitivos na próxima disputa municipal.

Eleição de 2022

Conforme tratado recentemente pelo Blog, a próxima disputa eleitoral deverá promover um intenso processo de articulações e ações de bastidores. Tudo porque há a possibilidade de os dois maiores agentes políticos da gestão municipal se lançarem candidatos. Lermen sendo excelente articulador, não confirmará se sairá ou não do cargo de prefeito, deixará para tornar público a sua decisão no prazo limite dado pela Justiça Eleitoral (provavelmente em abril de 2022, o prazo para desincompatibilização), para concorrer a uma das 17 cadeiras do parlamento federal a qual o Pará tem direito. Neste quesito de controlar o tempo político, ele tem a habilidade de poucos.

Ainda há a possibilidade de o agora secretário de Governo (Segov), Keniston Braga, se lançar candidato a deputado estadual, na mesma eleição. Por isso, o próximo pleito será bem disputado. Se ambos saírem candidatos e vencerem, o governo municipal mudará completamente. As duas principais “peças” da engrenagem da máquina não estarão, pelo menos, diretamente no processo gestão.

Eleição 2024

Sem os figurões políticos citados, a eleição de 2024 para a Prefeitura de Parauapebas deverá ser bastante interessante, pois muitos agentes políticos deverão se lançar candidato, para, talvez, firmar espaço para a disputa seguinte, 2028. Por exemplo, hoje, quais dos vereadores eleitos almejam e reúne condições de disputar a cadeira mais importante da cordilheira de ferro? Recentemente o Blog entrevistou dois, e ambos deixaram claro que tem interesse em chefiar o Executivo.

Decerto é que a segunda reeleição de Darci Lermen é o encerramento de mais um ciclo político em Parauapebas. Um capítulo se inicia e será construído pelos próximos quatro anos por novos (nem tão novos assim) agentes. A página foi virada. A ver.

Voltaremos ao tema.

Deixe uma resposta