Ibope divulga a sua primeira pesquisa de 2º turno ao governo do Pará. O processo sequencial anterior foi deixado de lado. A realidade se impôs

0
0

Ontem, 17, no início da noite, o Ibope divulgou a sua primeira pesquisa deste segundo turno na disputa pelo governo do Pará. O citado instituto teve os seus resultados questionados no primeiro turno pela opinião pública, haja vista, que ocorreu considerável distanciamento entre os dados divulgados e os resultados das urnas. O mais novo levantamento foi realizado entre segunda-feira (15) e quarta-feira (17) e tem margem de erro de 3 pontos, para mais ou para menos. Foram entrevistados 812 eleitores e a pesquisa foi registrada no TSE/BR05369/2018 e no TRE/PA09126/2018, tendo 95% de nível de confiança. A TV Liberal novamente a contratou.

Na questão dos votos válidos (exclui-se os votos brancos, nulos e os eleitores que se declararam indecisos), Helder Barbalho (MDB) lidera a disputa com 58%, enquanto Marcio Miranda tem 42%. A distância entre os dois é de 16 pontos percentuais. Já nos votos totais, que inclui todos os apontamentos, Helder Barbalho (MDB) aparece com 53%, enquanto Márcio Miranda (DEM) atinge 39% das intenções de voto. Os que declararam que votariam em branco/nulo chegou a 6%, e os que não sabem 3%.

Em grau comparativo entre os números da última pesquisa e os da atual, Miranda tinha 25%, e agora o Democrata aparece com 42% dos votos válidos. Ou seja, um crescimento de 17%. Já o Barbalho tinha ao fim do primeiro turno 54%, e agora atingiu 58%, um crescimento de 4% (quatro vezes menos do que o registrado por seu adversário).

No primeiro turno o questionamento que mais se fez em relação aos números do Ibope, foi o espaçamento entre os dois principais candidatos. Um alargamento duvidoso em relação ao candidato do MDB (colocando-o como vitorioso já em primeiro turno), e por outro lado, a contenção dos números do candidato do DEM (menos da metade dos votos do adversário). Ao ser encerrado o processo de apuração, percebeu-se que os levantamentos do Ibope estavam bem distantes da realidade, como se desconfiava.

Nesta pesquisa, os números são diferentes dos anteriores. O Ibope teria “ajustado” os seus levantamentos com a realidade? Buscou desta vez se aproximar do cenário real, evitando assim novamente outro vexame, igual o ocorrido no primeiro turno?

A coleta dos dados foi realizada antes das operações da Polícia Federal que culminaram com a prisão de pessoas ligadas ao candidato Helder Barbalho. A próxima rodada de pesquisas será fundamental para que se possa aferir os impactos dessas ações, além de possibilitar algumas análises: Miranda continuará a crescer? Helder chegou ao seu teto? Ainda há possibilidade de virada, ou o emedebista já venceu a disputa?

Aguardemos…

Deixe uma resposta