Monumento polêmico foi retirado e outro irá homenagear Encontro da Mulher em Parauapebas

0
1027

No dia 22 de setembro de 2020, uma grande polêmica tomou conta de Parauapebas. Tudo porque, o artista plástico Afonso Camargo, que já soma mais de 30 anos de atuação na cidade, tornava público a sua mais nova obra, que tinha como objetivo homenagear as mulheres parauapebenses. O monumento media 80 centímetros na base quadrada e altura de 2,20 metros. No total era composta de dois elementos escultóricos.

Segundo o artista, o primeiro descreve a Parauapebas de hoje, sua mocidade e o espírito de lutas e enfrentamentos, representado por uma jovem que ostenta o símbolo feminino – o Bastão de Vênus – da representatividade da vida e ao mesmo tempo é o cetro que se passa de mão em mão, de mãe para filha. Todavia, essa descrição não foi bem recebida por muitos munícipes, em especial o segmento evangélico, que afirmou que a obra não tinha nada de simbologia religiosa e sim fomentava ritos satânicos.

À época, a Prefeitura de Parauapebas não se manifestou sobre a polêmica que tomou conta da cidade, que, diga-se de passagem, possui quantitativo considerável de evangélicos. Haviam outros grupos que não gostaram do monumento, mas a crítica estava centrada em aspectos estéticos, e ainda outros que também não apreciavam a obra, mas defendiam a liberdade de expressão da arte.

Pois bem, agora, depois de meses em que o monumento ficou “lacrado”, envolto sob lona preta, foi retirado do local e ficará exporto em um museu. Em seu lugar, foi pensado um outro monumento. Ao longo do mês de março, durante a programação do Encontro da Mulher deste ano, dezenas de mulheres, inclusive pioneiras de Parauapebas, deixaram registradas as marcas das suas mãos em molduras que serão fixadas no muro construído na PA 275, próximo à rotatória do quartel da Polícia Militar. Este será o monumento, e a previsão de inauguração dele é para o dia 20 de maio.

A mudança foi a forma de como a Prefeitura de Parauapebas (que resolveu não tratar publicamente do fato) resolveu a polêmica questão envolvendo o monumento construído por Camargo que homenageava as mulheres. O caso teve como base a presença dos seguintes elementos: intolerância religiosa, ignorância e censura. Mais um capítulo que irá compor o enredo de nossa breve história de pouco mais de três décadas como município.

Deixe uma resposta