Número de brasileiros que investem em criptomoedas superou os da Bolsa

COMPARTILHE:

Os investimentos em ativos digitais estão cada vez mais populares no Brasil. Segundo um estudo recente realizado pelo Mercado Bitcoin, em parceria com a Mosaiclab, 10 milhões de brasileiros já investem em criptomoedas. Os 10 milhões de investidores de criptomoedas brasileiros representam aproximadamente 5% da população adulta do país —  número superior aos que investem na bolsa — e os detalhes sobre os perfis desses investidores trazem insights valiosos que podem ser usados em diversos setores da economia.

Isso porque outro importante dado encontrado é sobre o interesse dos brasileiros em entender mais sobre o mercado de criptoativos. Dos 20,5 milhões de investidores que ainda não se expôs a qualquer ativo digital, incríveis 92% disseram ter interesse em aprender mais sobre esse mercado. Em outras palavras, as criptomoedas não são apenas uma tendência passageira, mas uma revolução financeira que os brasileiros estão dispostos a abraçar. Sendo assim, com mais informação sobre a indústria e pessoas descobrindo as oportunidades oferecidas pelas criptomoedas, esse mercado deve continuar a evoluir e, consequentemente, atrair novos investidores.

Explorando os dados do estudo

O estudo, intitulado “Revolução do sistema financeiro e tendências da criptoeconomia”, teve como objetivo traçar o perfil dos brasileiros que investem em moedas digitais e entender os principais motivos que os levam a optar por esse tipo de ativo. Porém, seus achados não se limitaram apenas a isso. Outro dado relevante foi que dos 1.020 entrevistados, 34% brasileiros com acesso à internet e algum tipo de investimento declararam ser investidores de criptoativos. Destes, 20% nunca viveram um ciclo de alta nas criptomoedas, 43% têm até dois anos de experiência nesse mercado e a maioria (52%) investe até R$ 5 mil, sendo que o capital abaixo de R$ 1 mil predomina.

A preferência pela forma de exposição aos criptoativos também foi analisada, com 65% dos investidores considerando o investimento direto em criptomoedas e 34% manifestando interesse em fundos de investimento. Juntos, tais dados refletem o crescente interesse dos brasileiros em diversificar seus portfólios, explorar as oportunidades oferecidas pelas criptomoedas e realmente serem donos do seu próprio dinheiro, fugindo da custódia — e controle — de terceiros.

Um olhar para o futuro com a geração Z

Embora os números atuais sejam impressionantes, eles também revelam um grande potencial de crescimento do mercado cripto brasileiro devido às ideologias da geração Z, os ‘drivers’ que denominam a população economicamente ativa do país. A geração Z, composta por pessoas entre 16 e 25 anos, representa 24% da população brasileira. Considerando a população brasileira em 215 milhões, isso corresponde a 51,6 milhões de brasileiros. Especificamente falando dos cripto-entusiastas, eles representam um grupo de 3% do total, segundo dados da sexta edição do relatório “Raio X do Investidor Brasileiro”, da Anbima. Tal percentual corresponde a aproximadamente 6,42 milhões de brasileiros.

Por sua vez, essa geração é impulsionada pela busca por alternativas econômicas, maior transparência e autonomia financeira — características oferecidas pelas criptomoedas. Conectando os pontos, até para os poucos que dizem não ter interesse em aprender mais sobre criptoativos fica evidente que eles desempenharão um papel fundamental no futuro do sistema financeiro.

Por Mayara Souza – Invest News. 

Imagem: reprodução Internet. 

O blog no Twitter!