O cenário político cansa

0
4

Escrevo sobre política há 11 anos. Comecei em 2006 por meio de um amigo que me estimulou a “passar para o papel” minhas reflexões e provocações sobre ao assunto. Como se deve supor, o primeiro texto escrito na plataforma do extinto “Blog Terra”, foi sobre política. Precisamente a questão da crise na segurança pública no estado de São Paulo, na época governado por Cláudio Lembo, em uma gestão “tampão”, pois havia assumido o governo do estado de São Paulo em 31 de março de 2006, devido à renúncia do governador Geraldo Alckmin para concorrer à presidência da República. Lembo cumpriu o mandato até o dia 1 de janeiro de 2007, quando entregou o cargo ao governador eleito José Serra (PSDB)

Iniciava ali a minha jornada na blogosfera, de forma irregular, sem o comprometimento em produzir textos diários como firmei nos últimos três anos. Acompanhei o cenário político nestes 11 anos mudar, se transformar, permutar e virar do avesso como a atual fase.

Escrever sobre política sempre me foi prazeroso. O tema é complexo e rodeado de contornos imprevisíveis (essa engrenagem que muda o tempo todo é o que torna o processo mais interessante para quem o estuda e analisa). Mas, atualmente, o cenário político brasileiro cansa. Chega a desestimular qualquer reflexão sobre a referida temática. Não pela crise econômica que vivemos, até porque já passamos por várias. Se tratando de economia brasileira, a crise em seu sistema chega a ser indispensável, algo intermitente, indissociável, infelizmente.

O que causa desinteresse reflexivo é o atual estágio de degradação da classe política, aliado à dissimulação da grande mídia e a quebra do regime democrático, com a instauração de um governo (sua base e seus apoiadores) com diversos processos, denúncias e sem base legitima. E a Justiça? Neste caso o guardião do referido poder: o Supremo Tribunal Federal (STF)? Parece fazer parte de todo o processo que culminou com o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff. Tudo tornou-se como profetizou o senador Romero Jucá: “um grande acordão”. E o que esperar para um futuro próximo? Parece que estamos retrocedendo…

Tudo isso cansa. Os desmandos são flagrantes, escancarados. Parece que não há o mínimo de ética, de pudor. Por isso, há dias não vinha escrevendo neste blog. Pedir um tempo para descansar, refletir e afastar de minhas reflexões e provocações a pauta política nacional. Me fez bem. Fiquei mais leve.

Como não se vive isolado e o que acontece em Brasília afeta a todos, não há como fugir do debate, da reflexão. Portanto, de energias renovadas, estou de volta ao “front de batalhas”. Se render jamais.

Deixe uma resposta