Paixão de eleição

4
2

A disputa eleitoral mexe com sentimentos e desperta em alguns o desejo, o amor, a paixão; algo que parece nascer e terminar conforme o período de eleição. Essa parece ser a lógica para explicar a decisão de Úrsula Vidal ao se desfiliar do Psol, por conta do seu aceite em ser secretária de Cultura do Pará, no próximo governo. Entre todas as escolhas do governador eleito Helder Barbalho, a de Vidal foi a mais polêmica. Não pelo nome em si, haja vista, que Úrsula é um dos nomes mais indicados no Pará para assumir tal posto, mas por sua até então, filiação partidária.

Sua vida na política começou em 2014, quando se filiou ao PPS; depois compôs o quadro da Rede para disputar o pleito seguinte, o de 2016; e para um novo projeto político, em 2018, se filiou ao Psol, ocasião analisada pelo blog (Leia Aqui) nove meses depois deixa pela terceira vez uma legenda política em quatro anos na política-partidária. Reconhecidamente, Vidal sempre foi uma jornalista de respeito, gabaritada, de opinião e conteúdo, sobretudo, crítico. Uma mente privilegiada dentro de uma seara de escassez de neurônios. Portanto, é um quadro político como poucos, mas a questão dessa intensa permuta deverá criar fissuras a imagem de Vidal.

No caso da filiação ao Psol, Vidal seguiu a lógica de sua atuação, dentro do expecto político-partidário, foi a melhor opção, a mais coerente, pelo menos. Essa relação foi uma paixão de eleição, que serviu aos interesses de ambas as partes. Úrsula não deve nada ao seu agora ex-partido e nem a referida legenda a ela. O que Vidal precisa fazer – até para não acabar politicamente como alguns que promoveram essas mudanças em curto espaço de tempo – é definir um caminho, um partido e seguir, criar base e raiz. Apesar que, a grande maioria dos seus votos ocorrem por sua imagem e trajetória, e não por partido, que até então influenciou pouco em seus resultados nas urnas.

De resto, é uma excelente escolha do governador eleito. Um nome respeitado e que conhece por ofício a cultura paraense. A esperança é que a sua gestão promova – de fato – um novo direcionamento nas ações culturais em solo paraense, quebrando, portanto, um perfil considerado conservador que perdurava há duas décadas. O resto é mimimi… Paixão de eleição existe. Boa sorte a Úrsula.

4 COMENTÁRIOS

  1. Úrsula Vidal como Secretaria de Cultura?!
    Quem não tem telhado de vidro que atire a primeira pedra. A nova gestora poderia iniciar suas funções explicando aos seus fiéis seguidores o processo n. 34260-53.2015.4.01.3900 – Execução Fiscal – 22/02/2016 do TRF-1, que tramita contra sua empresa URSULA VIDAL DE MENDONCA ME. O autor ??? Ninguém mais ninguém menos que a Agencia Nacional de Cinema. Em outras palavras a futura gestora do MDB ou deixou de prestar contas ou teve prestação de contas negada em recursos que recebeu de lei de incentivo à Cultura Nacional. Vai ser do mesmo modo que irá gerir a tão maltratada lei Semear??? Que irá tratar os recursos públicos do Estado?
    Mas vamos deixar claro, a futura gestora pode alegar não ser a proprietária da ME em seu nome … desculpa clássica dos nossos políticos…. Com seu alinhamento com o MDB podemos espera essa postura.
    Ursula gritou aos 4 ventos que não estava na folha da RBA quando passou a apresentar programa no grupo. Em entrevista, da época, disse “Não. Eu não estou na folha da família Barbalho.” Será que agora pode dizer o mesmo???! Realizou um programa que constantemente atacava o governo. Cumpriu sua missão, cumpriu o papel determinado pelos Barbalhos e foi recompensada por isso.
    Não, mas a futura secretaria nunca escolheu a via mais fácil, nunca foi oportunista política. Saiu do PPS pq era maior que o partido e tinha perdido uma eleição, foi para a REDE onde perdeu novamente uma eleição, saiu dizendo que era maior que o partido e saltou para o PSOL. No PSOL mais uma eleição perdida e agora sai com seus seguidores gritando que ela é maior que o PSOL… Calma ursoletes o caminho de seu símbolo de adoração é de certeza as cadeiras do MDB, lá de certeza ela não será maior que o partido.

  2. ÚRSULA VIDAL

    A posse da nova gestora da secretaria de Cultura do estado, marca uma nova fase em nosso estado. A Úrsula,têm competência para resgatar nossos valores regionais e proporcionar ao nossos artistas locais novos horizontes dentro do aspecto artístico cultural. Não podemos condicionar o posicionamento pessoal com partidário, o Psol não pode determinar os caminhos individuais dos seus filiados, vivemos em democracia, os direiros de liberdade deveriam ser respeitados pela direção do partido.

Deixe uma resposta