Pará: saldo positivo na geração de emprego. Parauapebas lidera o ranking do interior

0
717
DCIM100MEDIADJI_0019.JPG

Quase 70% dos 144 municípios paraenses estão com saldo positivo na geração de emprego, segundo o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos do Estado do Pará (Dieese-PA). Apesar de Belém ainda despontar como a cidade com maior número de pessoas empregadas no Pará, o número de vagas formais não para de crescer no interior do Estado.

O estoque de trabalhadores em empregos formais no Pará, de acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), vinculado ao Ministério da Economia, é de 253.856 postos. E as cidades que mais geraram novos empregos em 2021 no Estado foram Parauapebas, Pacajá e Canaã dos Carajás.

Roberto Sena, supervisor técnico do Dieese-PA, diz que pesam a favor desses municípios a implantação de grandes projetos que geram muitas divisas em royalties para a administração municipal, o que acaba impactando diretamente na economia das cidades. Vários desses projetos, segundo ele, foram retomados depois de meses parados e injetam muitos recursos na economia. “O Estado do Pará vem tendo um papel fundamental nesse processo graças ao pacote econômico-tributário de R$ 500 milhões lançado pelo governador Helder Barbalho em março passado, ajudado pelos recursos do auxílio emergencial do governo federal que, embora tenha vindo menor neste ano, tem ajudado as famílias mais carentes nesse período difícil e retração econômica”, destaca o economista.

No início da pandemia (janeiro a junho de 2020), Sena lembra que o Estado do Pará perdeu cerca de 13 mil postos de trabalho. A partir daí o saldo de empregos começou a se recuperar, ao ponto de, no final do ano de 2020, ter um saldo positivo de empregos em vários setores.

Em maio o Pará gerou o saldo recorde de empregos formais para o mês na ordem de 8.685 postos. “Essa situação é tão boa que nesse mesmo mês do ano passado o saldo era negativo de 2.917 postos. Ou seja: no ano passado em maio perdemos quase 3 mil postos e em um ano o saldo positivo já é de quase 9 mil”, contabiliza.

De janeiro a maio a situação também é bastante positiva, com a geração de 26.365 novos empregos formais. “Para se ter uma ideia da recuperação, nos 5 primeiros meses de 2020 o Pará tinha perdido 10.488 empregos formais e agora o saldo positivo é de mais de 26 mil postos. Isso mostra a pujança da criação atual de empregos no Pará, atingindo todos os setores econômicos do Estado”.

Levando em conta os últimos 12 meses a situação é melhor ainda de acordo com o Dieese-PA: de maio de 2020 a maio deste ano a geração de novos empregos chegou a 68.149 postos formais. O que chama mais a atenção, segundo ele, é que essa grande geração de empregos ocorre em plena pandemia, mas com resposta positiva dos segmentos da economia.

Darci Lermen (MDB), prefeito de Parauapebas, campeã da geração de emprego no interior, afirma que o trabalho da atual gestão tem sido árduo nestes últimos anos e o resultado aparece na geração de renda para a população local. Segundo ele, os setores da mineração e da construção civil contribuem fortemente para o aumento no número de vagas.

“Para os próximos quatro anos, com o avanço nas obras do Programa de Saneamento Ambiental, Macrodrenagem e Recuperação de Igarapés e Margens do Rio Parauapebas – Prosap e outras previstas no Plano Municipal de Investimentos (PMI) temos a perspectiva de continuar aumentando o número de vagas para a população daqui”, comemora o Lermen.

Com informações do DOL (Adaptado pelo Blog do Branco). 

Deixe uma resposta