A convenção do MDB e sua ressonância política

Compartilhe nas redes sociais.

Ontem, 31, o MDB promoveu nas dependências da Alepa, a sua convenção. Na referida ocasião, importantes questões foram tornadas públicas e podem sinalizar alguns cenários políticos. Jader Filho, irmão do governador Hélder Barbalho, assumiu a presidência estadual do referido partido. Tal fato é relevante, sobretudo porque Jader Filho nunca esteve envolvido publicamente com a política, ou – como agora – teve cargo político ou partidário. Seu papel sempre foi o empresarial, sendo responsável pela direção do Diário do Pará, o jornal mais lido do Pará. 

Não é surpresa para quem acompanha de perto a política que o irmão mais velho de Hélder, sempre esteve agiu nos bastidores. Na última campanha eleitoral, por exemplo, Jader Filho teve papel fundamental. Quase tudo que era decido, tinha que passar por ele. Tornou-se, agora de forma mais incisiva, o grande conselheiro do irmão governador. Ao assumir a direção estadual do MDB paraense, Jader Filho deixa claro que poderá ser candidato em um futuro bem próximo? Se resumiria a cuidar do MDB dentro do território paraense? Ou estaria assumindo o partido no âmbito estadual, para que, como já analisado recentemente por este Blog, para possibilitar ao irmão mais novo, voos maiores, para além do Pará. Como dito, Helder está em disputa pela direção nacional do MDB.

Dr. Daniel Santos

Como esperado, na convenção foi anunciado o mais novo filiado do MDB, que atende pelo nome de Daniel Santos, atual presidente do Legislativo paraense. Conforme analisado pelo Blog, a estratégia foi montada de forma bem antecipada, e foi seguindo etapas, todas elas cuidadosamente pensadas. Desde a desfiliação do PSDB, o apoio a Helder na campanha, o acordo em ser o candidato do governador em Ananindeua e, por fim, em momento oportuno, – como de agora – anunciar o que já era esperado: a filiação ao MDB. Em abril, o Blog entrevistou de forma exclusiva Daniel Santos, e lhe perguntou sobre a possibilidade de filiação ao partido dos Barbalho. Claro que o presidente da Alepa desconversou e, como manda o manual político, deixou a dúvida – bem lógica – no ar. Com o anúncio da filiação, as etapas se fecham. Cabe – conforme também analisado pelo Blog – ao governador definir quem será o seu candidato em Belém.

No mesmo evento foi anunciado ainda a filiação da também deputada Renilce Nicodemos, que passou a integrar as fileiras do MDB; com isso, a legenda passa de seis para oito deputados na Alepa, sendo, portanto, a maior bancada naquela Casa de Leis.

Conforme dito, a cada dia o governador Helder Barbalho a cada dia aumenta a sua influência e controle. Filho assumirá o controle do MDB no Pará, para que assim, o irmão governador possa – no campo político-partidário – se voltar para Brasília. A convenção do MDB indica o direcionamento para 2020. A ressonância é evidente. 

2 Comentários

    • Saudações, amigo.

      Primeiramente, agradeço pelo prestígio depositado no Blog. Com relação a sua pergunta, ela é quase sem resposta, pelo simples fato de não ter – neste momento – oposição ao governador. Escrevi algumas análises sobre o tema. Veja no Blog. Abraços e obrigado.

Deixe uma resposta