A mais nova pesquisa Doxa mantém o cenário divergente em comparação ao apresentado por outros institutos. Quem acertará?

Compartilhe nas redes sociais.

Hoje (30) o Instituto Doxa divulgou a sua quarta pesquisa ao governo do Pará, sequência que começou desde quando foram registradas as candidaturas. Em seu material de divulgação dos dados da pesquisa, o Doxa apresentou gráfico comparativo entre os candidatos, conforme postado abaixo:

Portanto, segundo os dados estatísticos levantados pelo instituto de pesquisa, o candidato do MDB vem caindo levemente (dentro da margem de erro; no comparativo entre as duas últimas, a queda foi de 0,3%, portanto, imperceptível), enquanto o seu principal adversário, Márcio Miranda, sobe a cada nova medição. Segundo o Doxa, o candidato do DEM cresceu 6,4% no comparativo entre as quatro últimas pesquisas divulgadas. Já o candidato do PT, Paulo Rocha, oscilou um ponto para baixo nesta última pesquisa, aparecendo com 13,2%.

Na última semana de campanha, o Doxa mantém os números e cenários divergentes que em comparação com outras pesquisas divulgadas sobre a disputa pelo Palácio dos Despachos. As medições do Ibope, por exemplo, em comparação com as do instituto paraense, colocam o candidato do MDB 9% acima, e rebaixam o candidato do DEM em 11%.

Na semana passada, por conta da divulgação da rodada anterior de pesquisas, o blog analisou os números dos dois principais institutos que estão levantando e divulgando dados, polarizando a “guerra de números” sobre a disputa ao governo do Pará (Leia aqui). O Ibope deverá – como de praxe – divulgar os seus novos números da disputa pelo Executivo paraense no próximo sábado, às vésperas da eleição. Manterá a elasticidade, o grande espaçamento que existe entre as duas principais candidaturas? Mostrará a vitória do candidato do MDB já em primeiro turno? Ou elevará o candidato Márcio Miranda, consequentemente rebaixando o candidato Helder Barbalho, neste sentido, se aproximando, portanto, dos números da Doxa?

Conforme analisado no texto citado acima, chegamos ao ponto final e consequentemente central: quais dos dois institutos de pesquisa estão conseguindo retratar a realidade ou chegar mais próximo da cenário real? Quem chegar mais próximo, automaticamente estará desmoralizando o outro, haja vista, as diferenças numéricas entre ambos. Resta-nos esperar os próximos dias e última rodada de pesquisas do primeiro turno. Quem vencerá a “guerra dos números”?

2 Comentários

  1. Os números do ibope são bastante similares ao big date/Record, ressalte-se. Neste, a diferença pró Helder é até maior. Assim, a doxa é que está destoando. E nas ruas, parece-me que a doxa está mesmo descaradamente a serviço do Carlos Santos. Vamos esperar para ver!

  2. Encaro como um fenômeno o que vem ocorrendo nas pesquisas eleitorais realizadas pela empresa Doxa.
    O que poderia explicar a subida frequente de Marcio Miranda, a cada levantamento realizado pela empresa Doxa?
    Será que o volume de campanha veio aumentando e contagiou a sociedade paraense? Houve algum fenômeno, acontecimento, que o fez deixar de ser o candidato mais desconhecido pela população paraense e estar hoje, com 26,8% das intenções de voto. É o efeito da mágica Orly Bezerra? Essas indagações somente poderão ser respondidas pelo proprietário da empresa ou o responsável pela pesquisa.
    Chama a atenção, que pelos gráficos apresentados, observa-se pouca oscilação nos votos de Helder e um pouco mais nos votos de Paulo Rocha. Deduzimos, que em 39 dias de campanha, a equipe de comunicação política do candidato Helder Barbalho, não conseguiu que o mesmo saísse de onde começou na pesquisa da Doxa, 38,0%. Há, o candidato deve ter atingido o teto de votação o que não acredito, haja visto, que o mesmo alcançou entorno de 48,0% nas eleições de 2014. O que se passa???????

1 Trackback / Pingback

  1. Debate na TV Liberal: dobradinhas, jogadas ensaiadas acusações e poucas propostas. Pior para o Pará – Blog do Branco – Reflexões e Provocações

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.