A péssima gestão de Darci foi tema do encontro entre Helder e a imprensa. Governador não esconde a insatisfação com o seu correligionário

Compartilhe nas redes sociais.

A injustificável péssima gestão que o prefeito Darci Lermen promove em Parauapebas, há 26 meses, já é do conhecimento de todos. Recentemente, em entrevista ao Blog do Zé Dudu, o governador Helder Barbalho ao ser perguntado sobre os investimentos do governo do Pará em relação a Parauapebas, afirmou que o problema “não é dinheiro e sim gestão”. A declaração fomentou verdadeiro reboliço na capital do minério, e que mereceu analise deste blog em um texto intitulado: “Helder ‘puxa a orelha’ de Darci. E o “mea culpa” do Estado?” (leia aqui)

Na última quinta-feira, 07, o blog esteve presente a convite da assessoria do governador nas dependências do Palácio do Governo, para o encontro de Helder com a imprensa paraense. Em diversas perguntas ao chefe do Executivo, este blogueiro fez as suas. Duas: como conciliar o discurso de campanha de um governo “presente”, com um orçamento cada vez mais desigual?; e como será as ações do Estado – afirmados em campanha – em relação a Parauapebas?

O governador respondeu a duas. Novamente demonstrou a sua total insatisfação com a gestão municipal de Parauapebas, e no final de sua réplica, me perguntou se eu sabia ou tinha a informação que o IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) de Parauapebas estava estagnado, em patamares bem abaixo do esperado para um município rico; enquanto o de Chaves, município marajoara, um dos mais pobres do Pará, estava subindo?

A questão de meu questionamento e que gerou a narrativa clara de descontentamento por parte do governador com a gestão de seu correlegionário, Darci Lermen, foi abordada pelo competente jornalista Carlos Mendes, responsável pelo blog “Ver O Fato”, um dos mais acessados do Pará (Leia aqui)

Portanto, a péssima administração que vem sendo promovida por Lermen, já passou de todos os limites aceitáveis. São 26 meses de governo, sem uma marca. O que se fez de concreto até o momento foi o básico, de manutenção de serviços. Os defensores do prefeito podem afirmar que grande parte da área urbana está bem iluminada, pelo parque de iluminação através de lampadas led. Mas para o porte de Parauapebas e o volume de recursos que a prefeitura dispõe, o novo parque de iluminação pública, ainda por ser finalizado, é suficiente para melhorar a imagem de Darci nesses 26 meses de governo? Essa é a única marca da atual gestão até aqui?

Não há dúvida que, em 2016, quando Darci Lermen viabilizava a sua candidatura para disputar novamente a prefeitura de Parauapebas, concorrendo contra uma poderosa máquina e a reeleição do prefeito Valmir Mariano, o então ministro Helder Barbalho o ajudou politicamente. Primeiro, pela saída do PT e ida ao MDB, para que pudesse ter mais estrutura e condições políticas na disputa; segundo pelo forte apoio dado pelos Barbalho e aliados a Lermen.

Como não existe almoço de graça, Helder após ter ajudado a eleger Darci, esperava que o mandatário do quinto maior colégio eleitoral do Pará, além de ter o segundo maior orçamento entre todos os municípios paraenses, lhe proporciona-se retorno político, o que não veio; caso tenha vindo, bem abaixo do nível esperado. Na prática isso pode ser acompanhado na última eleição, quando Helder venceu apertado no primeiro turno o candidato Miranda, mas perdeu no segundo para o candidato de Jatene, isso Helder tendo um prefeito do MDB e com uma poderosa máquina pública.

Conforme abordado pelo blog, ao perder a eleição em segundo turno para Miranda, o fato escancarou a Helder a péssima avaliação e imagem do prefeito Darci Lermen, além de deixar o sentimento de insatisfação com o resultado eleitoral inesperado em Parauapebas. As informações que chegam ao governador são as piores possíveis sobre a gestão de Darci, e o estado de inércia que a cidade vive. Talvez, por isso, o desabafo na entrevista ao Blog do Zé Dudu, além de voltar ao tema no almoço com a imprensa, ao ser perguntado por este blogueiro.

Cabe, portanto, a Darci – se isso for possível – tentar salvar a sua imagem em pouco mais de 18 meses, prazo curto, para transformar e implementar as mudanças e ações que ele afirma que pretende fazer. Por enquanto, a sua estada na cadeira mais importante de Parauapebas, está sendo ruim ao município. O seu balanço como prefeito, levando em consideração o passado, soma-se 10 anos, é o resultado de uma década, quase um terço do tempo de emancipação de Parauapebas, comprova na prática a falta de habilidade gerencial de Darci. Ainda há tempo?

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta