Belém: disputa eleitoral em meio ao caos urbano

Compartilhe nas redes sociais.

Belém, a capital do Pará, vive mais uma disputa eleitoral bem acirrada para saber quem irá governar o município pelos próximos quatro anos. No 2º turno estão o prefeito Zenaldo Coutinho (PSDB) e Edmilson Rodrigues (Psol), que já governou Belém por dois mandatos consecutivos. É neste cenário de disputa eleitoral que uma das piores capitais do Brasil em bem-estar vive. De fato, os dois pretendentes ao Palácio Antônio Lemos conseguirão melhorar os pífios índices? Ou só irão administrar um cenário urbano caótico?

Basta comparar a capital paraense com outras pelo Brasil que rapidamente se percebe o cenário desolador que diversas gestões que passaram pela cidade impuseram ao belenense. Em um levantamento inédito feito pelo Observatório das Metrópoles, coordenado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), elaborou um ranking do bem-estar nas cidades brasileiras: entre as capitais, Belém ficou na antepenúltima posição, ocupando o 25º lugar.

No estudo sobre o Índice de Bem-Estar Urbano (Ibeu), foram considerados cinco indicadores de qualidade: mobilidade urbana, a exemplo do tempo de deslocamento de casa para o trabalho; condições ambientais (arborização, esgoto a céu aberto, lixo acumulado); condições habitacionais (número de pessoas por domicílio e de dormitórios); serviços coletivos urbanos (atendimento adequado de água, esgoto, energia e coleta de lixo); e infraestrutura.

Quanto mais próximo de 1,0, melhor é a condição de bem-estar urbano. Nessa medição, entre as capitais, Belém teve nota 0,6593, ficando no 25º lugar, atrás apenas de Porto Velho (RO), penúltima colocada, e de Macapá (AP), último lugar no ranking.

No lado oposto da tabela, as três melhores capitais no ranking do bem-estar são: Curitiba (PR), no terceiro lugar; Goiânia (GO), segunda colocada; e Vitória (ES), considerada pelo estudo a melhor capital, com nota 0,9000.

A cidade brasileira quer ficou em primeiro lugar geral entre os 5.565 municípios do país foi Buritizal, em São Paulo, com nota 0,951. Já a pior cidade na lista foi Presidente Sarney (MA), com nota 0,444.

RANKING DAS 27 CAPITAIS BRASILEIRAS

  1. Vitória (ES) – 0,9000
  2. Goiânia (GO) – 0,8742
  3. Curitiba (PR) – 0,8740
  4. Belo Horizonte (MG) – 0,8619
  5. Porto Alegre (RS) – 0,8499
  6. Campo Grande (MS) – 0,8275
  7. Aracaju (SE) – 0,8214
  8. Rio de Janeiro (RJ) – 0,8194
  9. Florianópolis (SC) – 0,8161
  10. Brasília (DF) – 0,8131
  11. Palmas (TO) – 0,8129
  12. São Paulo (SP) – 0,8119
  13. João Pessoa (PB) – 0,7992
  14. Fortaleza (CE) – 0,7819
  15. Recife (PE) – 0,7758
  16. Salvador (BA) – 0,7719
  17. Cuiabá (MT) – 0,7704
  18. Natal (RN) – 0,7383
  19. Boa Vista (RR) – 0,7249
  20. Teresina (PI) – 0,7218
  21. Maceió (AL) – 0,7036
  22. São Luís (MA) – 0,7003
  23. Rio Branco (AC) – 0,6972
  24. Manaus (AM) – 0,6903
  25. Belém (PA) – 0,6593
  26. Porto Velho (RO) – 0,6542
  27. Macapá (AP) – 0,6413

Fonte: Diário do Pará (com adaptações).

2 Comentários

Deixe uma resposta