Ibope quebra a sequência favorável a Fernando Haddad e amplia a diferença de Jair Bolsonaro

Compartilhe nas redes sociais.

Ontem (01), o Instituto Ibope divulgou pesquisa eleitoral com os seus mais novos números, quebrando, portanto, uma sequência e tendência eleitoral: a ascensão do petista Fernando Haddad e o estacionamento dos números de Jair Bolsonaro. Os números divulgados são amplamente favoráveis ao candidato do PSL. Em sua última pesquisa divulgada no dia 26 de setembro, o Ibope mostrou queda de um ponto do deputado federal, ficando com 27%. Nesta, Jair Bolsonaro subiu quatro (o dobro da margem de erro) e rompeu pela primeira vez a casa dos 30%, chegando a 31%, segundo o Ibope.

O seu principal adversário, Fernando Haddad, manteve o mesmo índice da pesquisa anterior, ficando com 21%. Ciro Gomes caiu um ponto (12% para 11%) e Geraldo Alckmin manteve os seus 8%. A pesquisa foi um “balde de água fria” nos apoiadores ou simpatizantes petistas, e até mesmo os que não apoiam o candidato do PSL. Os questionários foram aplicados nos dias 29 e 30 de setembro, portanto no dia e após as manifestações que ocorreram pelo Brasil contra a candidatura de Bolsonaro. Pode-se afirmar que as manifestações tiveram pouco ou nenhum efeito contra o capitão reformado? Ou o levantamento não conseguiu aferir os seus efeitos pelas datas de aplicação? O tão falado teto atingido por Bolsonaro não passa de mais uma análise errônea? Assim como o candidato do PSL, o petista foi atacado pela grande mídia dias antes da pesquisa Ibope, sendo assim, pode-se afirmar que, em Haddad os efeitos foram mais negativos? Segundo o Ibope, a diferença entre os dois principais adversários chegou a 10 pontos. Ela é considerável, porém, o segundo turno está mais do que garantido.

Rejeição 

Neste quesito, o alerta foi dado dentro do PT. Enquanto Jair Bolsonaro manteve o seu estrondoso índice de rejeição em relação à pesquisa anterior (44%); o petista saltou de 27% para 38% em cinco dias, algo altamente relevante. É neste índice que Ciro Gomes mantém a sua esperança na disputa. O candidato do PDT é o que possui a menor rejeição entre os cinco mais bem colocados nas pesquisas. Portanto, pode-se dizer que Ciro seria quem mais poderia receber votos de indecisos e até da migração de votos dentro da polaridade que se criou novamente nesta eleição. No segundo turno o pedetista vence todos os adversários. Será que Ciro Gomes ainda teria alguma chance dentro desta polarização?

Segundo Turno 

Nas projeções divulgadas pelo Ibope de segundo turno, o cenário se manteve quase sem alteração: Jair Bolsonaro perde para Ciro Gomes e Geraldo Alckmin; ganha de Marina Silva e empata com Fernando Haddad (o dado mais interessante das simulações de segundo turno, pois na medição anterior, o petista vencia por quatro pontos de diferença do candidato do PSL).

A pesquisa tem margem de erro de 2 pontos percentuais para mais ou para menos. Foram entrevistados: 3.010 eleitores em 208 municípios, com registro no TSE sob o número: BR-08650/2018. Os contratantes foram a TV Globo e “O Estado de S.Paulo”. O seu nível de confiança é de 95%.

A mais nova pesquisa Ibope coloca mais “fogo na fogueira” e quebra – pelo menos temporariamente – uma tendência de subida de Fernando Haddad, como possibilidade de virada no primeiro turno e o estacionamento de Jair Bolsonaro. O jogo está aberto.

 

 

 

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.