O levante da Comunicação

Compartilhe nas redes sociais.

Este blog foi um dos veículos de comunicação que mais produziu críticas ao atual governo Darci Lermen. Na área da comunicação, então, foram sucessivas abordagens. De início, elogios (reconhecendo naquele momento um bom trabalho, sobretudo na vinculação de ações iniciais da gestão), depois, algumas coisas se perderam e o trabalho vindo da Ascom, só piorou. Mas será que foi só a Assessoria de Comunicação que errou? E o governo como um todo? Como produzir conteúdo de ações se a gestão não as promovia? Em que a Ascom poderia dar vazão a algo que não estava acontecendo? Quantas obras ficaram só papel, e, só agora, depois de algumas mudanças no secretariado, começaram a ocorrer?

De fato, a Ascom deixou a desejar (mesmo sem obras ou ações) em criar mecanismos de divulgação, ou promover – mesmo que escassamente – algumas ações, mesmo com o governo quase sem produzi-las. Mas sinceramente em uma gestão que estava inerte, andando em círculos, a Ascom faria mágica caso conseguisse mudar a imagem e avaliação. Obras são feitas e não inventadas ou produzidas. Não ficam restritas a publicidade.

Há erros crassos nos últimos dois anos na referida área. Voltando ao tempo… Logo após a eleição municipal em que Darci Lermen foi eleito para governar Parauapebas pela terceira vez, sob um grande arranjo publicitário, por exemplo: “Governo da Oportunidade”, que foi usado como mote de campanha e que caiu muito bem, haja vista, a realidade do município, mas que, por outro lado, seria (e de fato foi conforme previsto pelo blog) a “pedra” do sapato da nova gestão. Em menos de um ano, mudou-se para “Governo da Nossa Gente”, mais simpático, menos impactante, porém mantinha a responsabilidade exagerada sob a gestão. 

Na semana passada, o governo começou a mostrar uma “nova” cara literalmente. Cores foram mudadas, novos efeitos visuais foram produzidos; novas peças publicitárias serão vinculadas. Agora, a gestão será guiada pela frase: “Cuidando da nossa gente”, abandonando o termo governo. A cor marrom (marca visual da gestão e que transparece algo “pesado”, meio sujo), enfim, deixou de existir. Foi substituído por cores mais leves. O governo ficou visualmente mais “clean”.

Claramente – e já bordado por este blog em outros textos – a gestão entra em um novo ritmo. Prefeito Darci Lermen acordou, promoveu mudanças em seu secretariado e está cobrando ações, movimento de seus auxiliares. Sendo assim, cabe agora a Ascom (levando em consideração o volume de conteúdo que será gerado a partir de agora), aperfeiçoar a comunicação e mostrar a sociedade o que está sendo feito.

O Embate da Comunicação

Caminhamos para a proximidade do processo eleitoral. E com ele vem a pressão, o aumento do volume de críticas, ataques, etc. Para isso, o governo precisa montar uma boa estratégia de comunicação. Não para esconder ou buscar mudar os fatos, mas sim para que possa (no momento da crítica ou até se antecipando a ela) fazer a réplica aos ataques que vier a sofrer. Hoje a defesa ou justificativa, a resposta quase não vem, e quando vem, é feita de forma desarticulada. Ou seja, não gera o efeito de convencimento necessário, e isso se reflete, por exemplo, na imagem da gestão e do prefeito.

O governo precisa de produção de conteúdo que venha de fora. Montar, por exemplo, uma retaguarda jornalistica para enfrentar o que vem pela frente, sobretudo, de aplicativos de mensagens, como o WhatsApp, que já mostrou na prática o seu efeito, vide a última eleição.

Outro ponto é que o governo não pode ficar refém de um grupo ou de acordos políticos mantidos. Precisa ter – e isso é necessário como estratégia política – uma retaguarda de comunicação. Uma nova era inicia no Governo Darci Lermen e com ela uma nova forma de Comunicação. Antes tarde do que nunca. 

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta