O ÚLTIMO A SAIR, APAGUE A LUZ!

Compartilhe nas redes sociais.

Ontem, 22, um grupo de membros do PSD (Partido Social Democrático), inclusive fundadores, reuniu-se no auditório do colégio APROV para fazer algo inusitado: um evento de desfiliação da sigla partidária.

Diversas lideranças políticas se fizeram presentes, como ex-vereador e Presidente da Câmara, Josineto Feitosa, o Secretário de Obras, Wanterlor Bandeira, o Secretário de Meio-Ambiente, Dion Leno, além de representantes de outras agremiações partidárias.

O evento transcorreu de forma pacífica e sem palco para acusações ou reclamações, como seria de se esperar de em evento desse tipo. Na abertura, foi lida uma “CARTA ABERTA” à população, explicando os motivos da decisão e depois o evento foi conduzido pelo ex-candidato a vereador Edneis Barbosa, que teve quase 1.000 votos na eleição passada. Em seguida, o microfone foi franqueado e todos os ex-candidatos usaram-no pra expressar seu ponto de vista. Entre os convidados, Joel do PV falou sobre sua longa e frutífera parceria com Gesmar Costa e o convidou (e à sua equipe) para ingressarem nas fileiras do seu partido. Marcelo catalão também teceu elogios ao evento, disse que vai respeitosamente copiá-lo e convidou os presentes a comparecerem, bem como deixou no ar a sugestão de que os grupos podem vir a se juntar no futuro.

O encerramento se deu com a fala do ex-deputado estadual Gesmar Costa, um dos fundadores do PSD local e coordenador geral da campanha vitoriosa do partido em 2012. Sem expressar mágoa ou revanchismo, Gesmar agradeceu a tudo o que o partido fez por ele e pela equipe, mas disse precisar alçar outros voos e por isso, a separação era necessária. Também conclamou os presentes a abraçarem uma terceira via no processo eleitoral de 2020. Deixou no ar também uma possível aliança com Marcelo Catalão em torno de um projeto comum.

É, amigos. As eleições do ano que vem prometem…

Mas para além do evento em si, o simbolismo do ato mostra força e aponta um caminho; o do afastamento da pessoa do ex-prefeito Valmir Mariano, que a despeito de liderar recentes pesquisas eleitorais, não consegue protagonizar o movimento de oposição ao atual prefeito, Darci Lermen. Ao contrário, cada vez mais nomes surgem como alternativas tanto ao projeto atual (Darci) como ao próprio Valmir. Marcelo Catalão, Gesmar Costa, Joelma Leite, Francine Lopes e outros vêm aí pra mostrar que nem Darci nem Valmir terão vida fácil em 2020.

É só lembrar que o PSD, uma sigla aparentemente poderosa, com um ex-prefeito, um ex-deputado, dois vereadores, além de diversas lideranças conhecidas em nossa cidade, na verdade, é um balaio de gatos, onde ninguém jamais se entendeu, especialmente depois de 2016, ano em que o partido perdeu a Prefeitura, num feito inédito, já que jamais um ocupante do Morro dos Ventos havia conseguido a façanha de mesmo estando na máquina administrativa mais poderosa do Estado, perder a reeleição.

O PSD local, historicamente, sempre teve quatro grupos distintos: o do vereador Horácio Martins, provavelmente o mais numeroso; o da vereadora Joelma Leite, o do ex-deputado estadual Gesmar Costa e o do ex-prefeito Valmir Mariano, curiosamente, sempre o menor dos grupos.

Os amigos devem lembrar que Horácio Martins levou toda a sua equipe para o PDT, partido agora presidido pela sua esposa, Orlene Martins. Ele mesmo só não foi devido ao impedimento legal de se transferir fora da janela de transferências sem prejuízo de perda de mandato.

Joelma Leite recentemente emplacou seu irmão, Joelson Leite, na presidência do DEM local, o que indica claramente o seu caminho a ser seguido.

Gesmar Costa e sua equipe, no evento de ontem, mostraram a toda a cidade que pularam fora do barco (ou seria canoa?) e buscam novos ares.

Restou ao outrora grande PSD Parauapebas o menor dos grupos originais, o do ex-prefeito.

Entendam: uma candidatura consistente deve possuir três características fundamentais: intenção de voto, grupo e recurso. Valmir tem intenção de voto, mas devido à sua já famosa inabilidade de lidar com pessoas e compromissos, vê seu grupo se esfacelar e com relação a recursos, pior ainda, pois QUEM tem coragem de colocar nas mãos dele (ou de sua filha malina) a quantia necessária pra tirar Darci do Morro dos Ventos, um político famoso por saber jogar esse jogo muito bem?

Avatar
Sobre Vicente Reis 22 Artigos
Vicente Reis, 46 anos - “Músico de formação, Programador e Data Scientist”. Viciado em Ópera, Jazz, e-Games, Clube do Remo e Vasco da Gama. Político Cultural, Agente Político e militante de causas perdidas...

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta