Prosap: a “Bala de Prata” do governo Darci Lermen

Compartilhe nas redes sociais.

A expressão bala de prata foi adotada como uma metáfora para designar uma solução simples para um problema complexo com grande eficiência. A metáfora em questão é tipicamente empregada no mundo da tecnologia, em especial na tecnologia da informação, referenciando-se a um novo produto ou tecnologia com o qual se espera resolver um problema anteriormente existente.

O blog usou a referida expressão pela primeira vez em um fato político de grande relevância para a cidade, por ocasião da inauguração do Hospital Geral de Parauapebas (HGP), em 2016. A obra foi entregue no prazo limite estipulado pela justiça eleitoral para os gestores que estavam em processo de disputa eleitoral, neste caso, de reeleição, poderiam inaugurar obras públicas. O prefeito Valmir Mariano e seus assessores mais próximos fizeram o possível para “entregar” tal obra para a população, mesmo que a mesma não estivesse entrado em operação, mesmo depois da festa, da placa e do corte da faixa, simbolizando que tal empreendimento passou ao uso público.

Sem delongas, o que o HGP representou ao governo Mariano; o Programa de Saneamento Ambiental, Macrodrenagem e Recuperação de Igarapés e das Margens do Rio Parauapebas (PROSAP), irá representar para o governo Lermen. O programa será a “Bala de Prata” para Darci, haja vista, a sua baixa popularidade. O projeto se arrasta desde 2017, ano que a nova gestão assumiu. No dia 30 de maio de 2019, foi publicado no Diário Oficial do Estado do Pará (DOEPA) e no  Diário Oficial da União (DOU), o edital para contratação de empresa que será responsável pela execução das obras da 1ª Fase do Programa. Orçada em R$ 68.548.199,25 e prevista para ser concluída em 18 meses, a obra eliminará os problemas de alagamento em vários pontos do bairro Rio Verde, ampliará a estrutura de saneamento básico da cidade e disponibilizará novas áreas de lazer e prática de esporte com a construção de Parques Lineares ao longo do canal.

O objeto do contrato é execução de obras de macro e microdrenagem, infraestrutura viária, iluminação, paisagismo e urbanismo da primeira fase do programa que contempla 2,4 quilômetros de extensão do Igarapé Ilha do Coco. As obras devem iniciar em agosto com a estruturação de um lago, no trecho localizado entre a PA 275 e o prédio do centro administrativo da Prefeitura, e seguirá em todo o canal até o encontro do igarapé com o Rio Parauapebas, no bairro Liberdade.

No último dia 13, foi assinada a Ordem de Serviço (OS) para a construção de 250 casas, um novo lar para famílias que residiam em locais de risco e insalubres na área da 1º etapa do Programa de Saneamento Ambiental, Macrodrenagem e Recuperação de Igarapés e Margens do Rio Parauapebas (Prosap). Como possivelmente o programa de saneamento irá demorar para ter avanços na obra, justamente por conta da proximidade do inverno amazônico, a construção das casas é mais rápida e deverá trazer dividendos políticos a gestão, enquanto a obra maior, a do saneamento deverá se arrastar, justamente por conta de impedimentos burocráticos e naturais.

É esse programa, o maior da história recente de Parauapebas, que o prefeito Darci Lermen se agarra para se manter no Palácio do Morro dos Ventos. Faltando pouco mais de um ano para o próximo processo eleitoral, o Prosap será a “Bala de Prata” para a gestão do prefeito Darci Lermen. Resta saber se ela conseguirá mantê-lo sentado na cadeira mais importante da cordilheira de ferro, ou não terá efeito esperado, a exemplo de 2016.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta