Primeiro Traço

0
1034

Tudo começa com um traço, um risco, que torna-se um enredo, uma história. Alguém precisa começar o esbouço. Foi exatamente isso que fez Faisal Faris Mahmoud Salmen Hussain, um paulista nascido em Agulhas, que se formou em medicina, antes de entrar para a política. Um jovem médico pediatra que logo entraria para a história política da Amazônia, em especial, o sudeste paraense.

Em 1988, quando foi a realizada a primeira eleição em Parauapebas o médico Faisal Salmen saiu candidato pelo PTB, tendo como candidato a vice-prefeito Renato Araújo, o Renatinho, do PSD. O adversário mais forte do outro lado era Volney, do PDT. Faisal foi chefe do Executivo de Parauapebas logo após a emancipação do município, no período de 1989 a 1992, quando aqui não havia praticamente nenhuma infraestrutura. Por isso, o uso do termo “risco” no título deste artigo.

Além de ter chefiado o Executivo municipal, Faisal também foi eleito deputado estadual e vereador. Em sua gestão como prefeito, realizou diversas obras, desde asfaltamento de ruas à criação de escolas, praças, pontes, centro de captação de águas, prédios públicos, igrejas, creches e postos de saúde. No plano fiscal, foi responsável pelo aumento a arrecadação municipal através da Lei dos Royalties (Cfem pago pela mineradora Vale) e diversas outras ações.

No parlamento estadual, Faisal promoveu diversos incentivos à cidade como Corpo de Bombeiros, SENAC, agências bancarias, aumento na arrecadação do ICMS, que beneficiou não só Parauapebas, e sim mais de 100 municípios paraenses.

O falecimento de Salmen é, sem dúvida, o fechamento de um ciclo político de Parauapebas, que agora será revisitado pelos registros históricos da “capital do minério”. Ele foi responsável pelos primeiros traços; cabe, portanto, a atual geração e as que virão redesenhar, recriar formas deste mosaico que é Parauapebas.

Blog do Branco se solidariza com familiares e amigos de Faisal Salmen.

Deixe uma resposta