Semana de Formação de Cultura – Primeiro Dia

1
1

Ontem, 23, no primeiro dia da “Semana de Formação Cultural”, promovida pela SECULT – Parauapebas, ocorreu no Centro Cultural de Parauapebas, o encontro denominado “Bate-Papo Cultural”, com a presença do representante da Secretaria Especial de Cultura (o rebaixado Ministério da Cultura), Sr. Rodrigo Vianna, O Diretor de Oficinas da Fundação Cultural do Pará, o Diretor de Artes Cênicas Adriano Barroso, a Secretária Estadual de Cultura, Úrsula Vidal, o Secretário Municipal de Cultura, Saulo Ramos e o Prefeito de Parauapebas, Darci Lermen, como debatedores.

Na plateia, um bom público compareceu, inclusive com a presença de diversas autoridades de outros municípios, como Canaã dos Carajás, Eldorado do Carajás, Abel Figueiredo, Marabá, São Felix do Xingu e é possível que eu tenha esquecido de algum. Enfim, um evento, de fato, representativo.

O evento começou com cada um dos convidados de honra falando um pouco sobre o evento em si, mas principalmente, sobre políticas públicas de cultura. Quem foi, pôde ouvir do prefeito e do Secretário municipal o compromisso de acelerar a tramitação da Lei Municipal de Cultura!

O Diretor de Artes Cênicas, Sr. Adriano Barroso, em seu discurso, falou da importância e da possibilidade de implantar em Parauapebas, cursos superiores na área de cênicas e audiovisual, através das Escolas de Teatro e da Escola de Cinema do Estado. Além disso, após demanda levantada pelo Sr. Doddy Amâncio, produto cênico local, sobre a realização de um Festival regional de teatro, o que foi recebido com grande entusiasmo pela plateia presente.

O Diretor de Oficinas da Fundação Curro Velho, João Clóvis, enfatizou a necessidade de estabelecer um novo modelo de parceria que enfatize a evolução das oficinas ministradas, acabando com o ciclo de eternas oficinas de inicialização.

O Sr. Rodrigo Vianna, representante da Secretaria Especial de Cultura do Ministério da Cidadania, falou sobre os novos desafios com o lançamento da nova instrução normativa da Lei Rouanet; falou sobre as mudanças, expectativas e foi hostilizado por uma parte da plateia, como era de se esperar.

O Prefeito Darci e Saulo Ramos falaram juntos sobre os desafios que virão: afastar da SECULT aquela velha política de festas e eventos, simplesmente; realizar a aproximação da Secretaria com o produto cultural na ponta; descentralizar os projetos, levando mais ações à periferia e o principal: agilizar os editais de cultura e a aprovação da Lei Municipal de Cultura, no que foram muito aplaudidos pelo público.

Úrsula falou sobre os desafios desta nova gestão, o desafio de fazer uma gestão “Mais Presente”, como vem repetindo o Governador Helder, desde a sua campanha. Inegavelmente, Úrsula exerce um domínio natural sobre a plateia. Talvez seus mais de 30 anos de comunicação a ajudem, mas ela realmente emana sinceridade em suas palavras, bem como se identifica com seu público. Abriu saudando o MST e encerrou pedindo “pra ninguém soltar a mão de ninguém!”…

Na parte da tarde, houve uma palestra sobre “Urbanismo Tático”, ministrada por Lucas Nassar, arquiteto e urbanista, idealizador do Laboratório da Cidade, organização sem fins lucrativos cuja missão é repensar as cidades, suas dinâmicas e transformações, almejando cidades mais humanas, democráticas, resilientes e sustentáveis. Soluções utilizando-se de cultura e arte para ressignificação e ocupação territorial. Interessantíssima!

Ao fim dos trabalhos, a impressão que se leva é que Helder acertou em cheio ao nomear Úrsula para o cargo, pois é sabido que o segmento cultural é uma verdadeira fogueira de vaidades, famosa por queimar, ideias, intenções e reputações. Neste primeiro momento, ela está usando o discurso batido, porém válido de que está “ouvindo”, “que o orçamento é do governo anterior”, “que estamos planejando”… tudo aquilo que ouvimos de todos os governos em todas as instâncias. Ela está com a bola cheia, mas a experiência nos mostra que nem todo carisma do mundo resiste à falta de realizações e a Secretária mais querida e popular dos últimos tempos precisa mostrar a que veio, mesmo que não realize pelo tempo curto, mas que mostre que, pelo menos em intenção, ela quer ser parte da mudança que todos esperam e o Pará merece!

Crédito da foto: Felipe Borges

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta