Senado: gastos da bancada paraense em novembro

COMPARTILHE:

Em mais um levantamento exclusivo feito pelo Blog do Branco em relação às finanças públicas, tendo como base os números disponibilizados pelo Senado Federal, descobriu-se os entre os componentes da bancada paraense, composta pelos parlamentares: Jader Barbalho (MDB), Zequinha Marinho (Podemos) e Beto Faro (PT) quem foi o mais econômico e o mais “gastador”. Desta vez, dividimos em uso de Cota Parlamentar e despesas que estão fora desta natureza de gastos.

Desta vez, diferente do mês passado, entre os três senadores paraenses, Beto Faro foi o mais “gastador”. O uso de recursos públicos somou os impressionantes R$ 98.615,99 dividido da seguinte forma:

  • Fora da cota parlamentar, o citado senador gastou R$ 29.198,37 em sua estada em Dubai, por conta da COP-28;
  • Passagens aéreas, aquáticas e terrestres: R$ 26.774,25;
  • Contratação de serviços de apoio: R$ 24 mil;
  • Combustíveis: R$ 18 mil;
  • Aquisição de materiais de consumo: R$ 643,37 (fora da cota parlamentar, segundo a natureza dos gastos);

O segundo mais gastador, foi o senador Zequinha Marinho, que somou R$ 48.506,45 dividido em:

  • Passagem aérea: R$ 19.465,95;
  • Aluguel de imóvel R$ 11.264,84;
  • Correios: R$ 8.486,74;
  • Hospedagem e combustíveis: R$ 4.776,76;
  • Aquisição de material de consumo: R$ 475,00;
  • Impulsionamento em mídias sociais: R$ 2.888,30 (fora da cota parlamentar);
  • Outros materiais: R$ 266,94 (fora da cota parlamentar, segundo a natureza dos gastos).

O mais, digamos, econômico foi Jader Barbalho, foi o menos gastador entre os três senadores da bancada paraense no Senado. Utilizou de sua cota parlamentar o valor de R$ 56.874,52 dividido em:

  • Contratação de serviço de apoio parlamentar: R$ 25 mil;
  • Passagens aéreas: R$ 11.481,86;
  • Aquisição de material de consumo: R$ 224,92;
  • Correios: R$: 167,74 (fora da cota parlamentar pela natureza do gasto).

Salário de um Senador:

O salário de um senador no Brasil é o mesmo que o de um deputado federal e é maior que o do presidente da república, do vice-presidente e dos ministros de estado. Atualmente está em R$ 41.650,92 (quarenta e um mil, seiscentos e cinquenta reais e noventa e dois centavos), reajustado desde abril do ano corrente.

Segundo informações levantadas no site do Senado Federal, há ainda alguns benefícios, veja:

Auxílio-moradia: o Senado tem 72 imóveis residenciais para os senadores em exercício do mandato. Aquele senador que não consegue um desses imóveis, ou não o quer, recebe, a título de auxílio-moradia, por mês, R$ 5.500.

Cota para exercício da atividade parlamentar (CEAP), para pagamento de serviços postais, hospedagem, manutenção de escritório, combustível, passagens aéreas etc. A CEAP é um reembolso e o saldo que o senador não utiliza se acumula, de janeiro a 31 de dezembro de cada ano. O site do Senado passa anos sem atualizar informações da CEAP, mas estima-se que estejam sendo pagos a cada senador, por mês, de R$ 30.000 a R$ 50,000.

Auxílio-saúde: o senador, cônjuge e dependentes até 33 anos usam gratuitamente o serviço médico do Senado e são reembolsados de toda despesa de internação em hospital de qualquer lugar do país. Ex-senador também tem seu direito ao auxílio-saúde. Despesas com dentista e psicoterapeuta são limitadas a R$ 26.000 anuais, mas as outras despesas médicas são sem limite.

Contratação de pessoal: não há verba especial para gabinete, mas cada senador pode escolher até 11 pessoas para cargos comissionados, além dos seis efetivos que já há em cada gabinete. Estima-se que, com isso, o Senado gaste, para cada senador, mensalmente, R$ 82.000.

Outros: para repor despesas de mudança, o senador recebe verba extra de um salário, uma vez no começo e outra no fim do mandato (2x R$ 41.650,92).

Imagem: fotomontagem. 

O blog no Twitter!