Exportações de minério de ferro da Vale cresceram entre janeiro e agosto

0
783

As exportações de minério de ferro da Vale tiveram aumento de 6,12% nos primeiros oito meses de 2021 em comparação com o mesmo período do ano passado. Mesmo com redução dos embarques em agosto – também registrada pela Anglo American –, dados do Sindicato Nacional da Indústria da Extração do Ferro e Metais Básicos (Sinferbase) apontam para um crescimento no total exportado e nas vendas internas no ano, revertendo quadro de período equivalente de 2020.

As exportações de minério de ferro do Brasil cresceram 11,7% em agosto na comparação com o mesmo mês do ano passado, somando 34,84 milhões de toneladas, o maior volume mensal desde setembro de 2020, informou a Secretaria de Comércio Exterior (Secex) nesta quarta-feira.

Em receitas, os embarques de minério de ferro do país atingiram 5,69 bilhões de dólares, mais que o dobro do montante de 2,38 bilhões de dólares visto no mesmo período do ano passado. O forte crescimento, em momento em que a produção da Vale (VALE3) é crescente, ocorre com os preços de exportação também mais que dobrando na comparação anual, para 163,3 dólares por tonelada, segundo dados da Secex.

Os valores de exportação no Brasil, contudo, ainda não estão refletindo a forte redução nas cotações vistas na China, agora que o mercado de minério de ferro está pressionado pela fraqueza “spot” em momento em que as restrições à produção de aço no país asiático frustram as perspectivas de retomada da demanda.

Com os embarques, o minério de ferro superou a soja, em agosto, como o produto que mais gerou divisas para o Brasil a oleaginosa está com embarques decrescentes, à medida que os estoques vão diminuindo com a proximidade do final do ano. Apesar de um crescimento nas exportações, para 6,5 milhões de toneladas de soja, o total gerado de divisas de 3,15 bilhões de dólares ficou inferior ao visto no minério de ferro.

O petróleo vem em terceiro, com pouco mais de 3 bilhões de dólares, com os embarques apresentando alta para quase 7 milhões de toneladas e preços mais altos ante 2020. A balança comercial brasileira teve superávit de US$ 7,7 bilhões no mês de agosto. O montante corresponde a um recorde histórico para o mês na série iniciada em 1989, segundo informou o Ministério da Economia na tarde desta quarta-feira. As exportações brasileiras somaram US$ 27.2 bilhões de dólares no mês passado, enquanto as importações atingiram o valor de US$ 19,5 bilhões.

Com informações do Sinferbase e do Ministério da Economia (Adaptado pelo Blog do Branco).

Deixe uma resposta