Faturamento da mineração em solo paraense recuou em 2023

COMPARTILHE:

O faturamento da indústria da mineração brasileira oscilou ligeiramente para baixo em 2023, quando comparado ao ano anterior, recuando de R$ 250 bilhões para R$ 248,2 bilhões, uma redução de 0,7%. Minas Gerais aparece com a maior participação no faturamento nacional, com R$ 103,6 bilhões, equivalente a 41,7% em 2023. O Pará mantém o segundo lugar, com R$ 85,4 bilhões ou 34,4% do faturamento do setor mineral em 2023.

Já entre as substâncias, minério de ferro e ouro registraram queda, em dólar, de 3,6% e 11,9%, respectivamente. Cobre, calcário, granito e bauxita registraram alta de 6,5%, 11%, 25,6% e 0,3% no faturamento. Essa movimentação dos preços explica o recuo do faturamento paraense. Fortemente ligada ao ferro e ao ouro, o Pará acabou perdendo receita em um ano de fortes oscilações nos preços desses dois metais.

Os dados foram apurados pelo Instituto Brasileiro de Mineração (IBRAM) e divulgados pelo diretor-presidente, Raul Jungmann, nesta 4ª feira (31). O resultado estável em termos de faturamento reflete o cenário internacional mais favorável, mesmo diante da queda nos preços das commodities ao longo do ano.

Segundo o IBRAM, no passado, a indústria da mineração em Minas Gerais faturou R$ 103,6 bilhões, um crescimento de 3% em relação ao ano de 2022. O Pará apresentou redução de 7,6%, recuando de R$ 92,4 bilhões em 2022, para R$ 85,4 bilhões em 2023. Em termos percentuais, MG responde por 41,7% do faturamento em 2023; PA por 34,4%; Bahia por 3,9%; SP por 3,7%; GO por 3,4%; MT por 2,8%.

O faturamento do segmento de minério de ferro baixou de R$ 153,5 bilhões para 148 bilhões; o do ouro de R$ 23,9 bilhões para R$ 21,1 bilhões.

Quase US$ 65 bilhões em investimentos

Destaque entre os dados divulgados está o incremento nos investimentos que as mineradoras planejam no país. Para o período 2023-2027, a previsão era de investirem US$ 50 bilhões; agora, para o período 2024-2028, o valor poderá chegar a US$ 64,5 bilhões. Os investimentos em projetos de minério de ferro devem receber os maiores aportes, com cerca de US$ 17 bilhões até 2028 (26,8% do total de investimentos do setor).

Com informações de Pará Mineral.

Imagem: reprodução Internet. 

O blog no Twitter!