Vem aí o PMI

COMPARTILHE:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Através do ofício nº 979/2020, datado em 07 de dezembro de 2020, o Governo Municipal de Parauapebas dava entrada na Câmara de Vereadores em um Projeto de Lei que alteraria as Leis Municipais nº 4.213/2001, 4.738/2018 e 4.433/2010, e daria outras providências. À época, o Blog do Branco teve acesso ao documento que, na prática, tinha como objetivo promover algumas mudanças dentro do plano institucional do Paço municipal, dentre elas criar o Programa Municipal de Investimentos de Parauapebas (PMI), Secretaria Especial de Governo (Segov) e outras providências institucionais.

Estava claro que, naquele momento, o quarto mandato do prefeito Darci Lermen (MDB), reeleito pela segunda vez,  viria com algumas mudanças para além da esperada “dança das cadeiras” em seu primeiro escalão. Algumas secretarias encerrariam o seu ciclo, sendo incorporadas por outras, e uma superestrutura institucional seria criada, conforme o mencionado PL que havia sido enviado à Câmara de Vereadores. Nascia a Secretaria de Governo (Segov), com inúmeras atribuições, relatadas em outro artigo sobre o tema. Dentre elas, a execução do Programa Municipal de Investimentos de Parauapebas – PMI, que foi apresentado hoje, 20, no auditório do Palácio do Morro dos Ventos para os facilitadores de comunicação das secretarias.

Segundo documento recebido pelo Blog do Branco sobre o citado programa, sua abrangência é bem grande. O PMI tem como objetivo executar obras, ações prioritárias e projetos especiais do governo para os próximos quatro anos. Segundo suas diretrizes, o programa terá sete eixos de ações de investimentos: I – Infraestrutura Urbana e Rural; II – Desenvolvimento socioeconômico e sustentável; III – Mobilidade Urbana e ordenamento territorial; IV – Habitação e interesse social; V – Modernização da máquina pública; VI – Desenvolvimento tecnológico e educacional; VII – Qualificação e incentivo para as mulheres.

No que compete a Segov em relação ao PMI, estão: execução e coordenação; representação do município em assuntos que compete ao programa junto à órgãos de controle interno e externo. Além disso, tem responsabilidade em preparar e acompanhar os processos licitatórios: termo de referência, licenciamento ambiental e processo técnico, análise e elaboração de projetos.

Infraestrutura Urbana e Rural

  • Pavimentação da estrada rural entre as Vilas Carimã e Conquista;
  • Pavimentação da estrada rural entre as Vilas Palmares II e Três Voltas;
  • Construção da estrada entre Parauapebas e Marabá, via Palmares II;
  • Manutenção e abertura de entradas vicinais na zona rural;
  • Construção de pontes de concreto na zona rural;
  • Conclusão e obras de urbanização dos canais do Complexos: Altamira, Cidade Jardim e Vs-10;

Desenvolvimento socioeconômico e sustentável

  • Construção do novo mercado municipal e feira do bairro Rio Verde;
  • Construção do Complexo Cultural do município de Parauapebas;
  • Construção do Polo Tecnológico de gemas e joias;
  • Construção do Centro Administrativo Integrado da Prefeitura de Parauapebas;
  • Construção do Centro de Zoonoses de Parauapebas;
  • Implantação da Central de Tratamento de Resíduos sólidos;
  • Construção do Centro Cultural “Jeca Tatu”;
  • Construção do Ginásio do bairro Primavera;
  • Construção do Parque Aquático de Parauapebas;
  • Construção do Museu de Parauapebas.

Mobilidade Urbana e ordenamento territorial

  • Construção e padronização de calçadas sociais;
  • Construção de via de ligação entre a VS-10 e PA-160;
  • Construção do novo Terminal Rodoviário de Parauapebas;
  • Construção do Terminal de Integração de Parauapebas;
  • Implantação do Programa Lote Legal – visa regularizar 10 mil imóveis urbanos.

Habitação e interesse social

  • Aquisição de 4 mil lotes urbanizados;
  • Construção de 2 mil unidades habitacionais.

Modernização da máquina pública

  • Implantação da Central Integrada de Insumos, Almoxarifado e Bens de Consumo;
  • Implantação de Sistema Integrado de Gestão e Monitoramento Administrativo.

Desenvolvimento tecnológico e educacional

  • Construção do Campus Universitário da UEPA em Parauapebas;
  • Implantação da Universidade Municipal de Parauapebas;
  • Implantação de parcerias com instituições de ensino para a implantação de cursos de pós-graduação em Parauapebas.

Qualificação e incentivo para as mulheres

  • Igualdade no mundo do trabalho e autonomia econômica da mulher (qualificação e inserção no mercado de trabalho);
  • Empreendedorismo feminino (fomento aos pequenos negócios individuais e coletivos).

A Segov é gerida por Keniston Braga, ex-secretário de Finanças na gestão passada. O PMI terá orçamento total de um bilhão de reais, dividido pelos quatro anos da atual gestão. Todas as obras citadas neste artigo, se executadas em sua totalidade, colocarão o município de Parauapebas em outro patamar de desenvolvimento. Que venha, portanto, o PMI.

O blog no Twitter!