Áreas para prospecção de minérios no Pará irão a leilão

COMPARTILHE:

Multinacionais e investidores interessados no setor mineral brasileiro terão oportunidades promissoras para expandir os negócios no país a partir de cidades paraenses. O Serviço Geológico do Brasil (SGB), empresa pública federal vinculada ao Ministério de Minas e Energia (MME), realizou uma série de levantamentos entre as décadas de 1980 e 1990 nestes estados, revelando depósitos minerais com milhões de toneladas de minérios. Estas áreas fazem parte dos cinco ativos minerários que serão leiloados pelo SGB no dia 18 de outubro, às 10 horas, por meio do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) da Presidência da República.

O leilão acontecerá na sede administrativa do SGB, situada na cidade do Rio de Janeiro, conforme estabelecem os editais publicados no último dia 18 de setembro com um mês de antecedência à realização das sessões públicas que preveem a cessão dos direitos minerários das cinco áreas. O diretor-presidente do SGB, Inácio Melo, reitera que a disponibilização destas áreas para investimentos consolida trabalhos iniciados há mais de 30 anos, por meio dos levantamentos geológicos do SGB, e que agora abrem novos caminhos para impulsionar o desenvolvimento socioeconômico das regiões cobertas pelos depósitos minerais.

“Os leilões representam uma grande oportunidade para que estas localidades recebam investimentos e vivam, em um futuro breve, uma nova realidade. É preciso esclarecer que os leilões integram a primeira etapa do processo, quando os interessados fazem a oferta para arrematar um dos lotes disponíveis, tendo ainda pela frente outras quatro etapas que devem ser cumpridas legalmente. Ainda assim, mesmo sendo uma etapa inicial, a economia local será movimentada em curto prazo, gerando receita por meio do setor de produtos e serviços considerando a chegada dos profissionais que serão responsáveis pela segunda etapa, que é da pesquisa mineral”, enfatiza o diretor do SGB.

Segundo Melo, conforme a experiência de cidades com ativos minerários já leiloados pelo SGB por meio do PPI, a estadia de pesquisadores a partir da segunda etapa incide em hospedagem, em consumo para refeições e aquisição de itens pessoais no período de realização, além da necessidade da contratação de mão de obra local para determinados serviços. Assim, segundo aponta o diretor do SGB, os ativos já representam benefícios à população devido à receita gerada em hotéis, restaurantes, supermercados, farmácias e lojas de mantimentos, bem como pela abertura de postos temporário de trabalhos.

As informações detalhadas sobre cada um dos cinco leilões, que acontecerão simultaneamente no dia 18 de outubro, estão disponíveis no link https://www.sgb.gov.br/publique/Acesso-a-Informacao/Leiloes-dos-Ativos-Minerarios-do-SGB-6571.html.

Agrominerais Aveiro (PA)

O projeto denominado Agrominerais Aveiro corresponde a união de dois projetos do Serviço Geológico do Brasil: Gipsita Rio Cupari e Calcário Aveiro. São três processos minerários de gipsita com 2.887 hectares, situadas às margens do rio Cupari, afluente do rio Tapajós, no município de Aveiro, no estado do Pará. Os trabalhos de pesquisa realizados pelo SGB revelaram a existência de jazida com recursos minerais de mais de 350 milhões de toneladas e com alto grau de pureza. O depósito de calcário localiza-se às margens do rio Tapajós, distante cerca de 30 km das áreas de gipsita. A área estudada apresenta 998 hectares e apresenta recursos minerais de mais de 500 milhões de toneladas de calcário.

O projeto foi idealizado visando ao abastecimento do mercado de insumos para o setor agrícola e o investidor poderá, em uma única unidade produtiva, lavrar tanto o calcário quanto a gipsita. O edital e os estudos realizados na área do projeto estão disponíveis no link: https://www.cprm.gov.br/publique/-7142.html.

Caulim no Rio Capim (PA)

O edital para cessão de área do minério caulim, no município de Ipixuna do Pará correspondem a duas áreas pesquisadas: Bloco Sul e Bloco Norte com 10.000 hectares de área. No Bloco Norte, foram estimados 574 milhões de toneladas e no Bloco Sul o total de recursos foi de 218 milhões de toneladas de minério que corresponde a um volume total de aproximadamente 800 milhões de toneladas de caulim.

O edital e os estudos realizados na área do projeto estão disponíveis no link: https://www.sgb.gov.br/publique/Acesso-a-Informacao/Leilao-Rio-Capim-(PA)-%7c-Caulim-7604.html.

Com informações da ANM (adaptado pelo Blog do Branco). 

Imagem: reprodução Internet. 

O blog no Twitter!