Com desistência de DeSantis, Nikki Haley é o último obstáculo para Trump no Partido Republicano

COMPARTILHE:

A menos que a ex-governadora da Carolina do Sul consiga uma vitória surpreendente nas primárias de terça-feira em New Hampshire, a corrida pelas nomeações do Partido Republicano poderá efetivamente terminar antes de realmente começar. O confronto no estado tornou-se ainda mais crítico quando o governador da Flórida, Ron DeSantis, desistiu da disputa na tarde deste domingo (21) e apoiou Trump, depois de não ter conseguido vencê-lo nas convenções de Iowa e quando ficou claro que ele não tinha caminho a seguir.

Sua retirada ocorreu no momento em que Trump volta toda a sua atenção para Haley e apela aos eleitores republicanos para que lhe proporcionem uma vitória nas primárias de New Hampshire que seja tão abrangente que praticamente encerre a disputa nacional de nomeação. Se Haley não vencer Trump, ou pelo menos chegar perto, poderá ter dificuldades em delinear uma razão para continuar contra o ex-presidente e convencer os doadores de que continua a ser um bom investimento financeiro.

Haley disse à jornalista Dana Bash da CNN na tarde de domingo que agora ela está onde sempre quis estar, em uma luta direta contra Trump. “Há duas pessoas nesta corrida. Isso é o que queríamos o tempo todo. Vamos continuar.” Trump já está a usar a sua implacável máquina política para tentar esmagar os sonhos de Haley de ter a Casa Branca na Carolina do Sul, o próximo grande estado com primárias, onde ela serviu como governadora e espera transformar a corrida.

O ex-presidente, que está à frente de Haley em New Hampshire por 11 pontos em uma nova pesquisa da CNN publicada neste domingo, está em alta após as convenções de Iowa na semana passada. Num comício agitado no sábado à noite, Trump criticou o apelo da ex-governadora da Carolina do Sul aos eleitores do Partido Republicano em New Hampshire.

Com informações de CNN Brasil. 

Imagem: Agência Reuters. 

O blog no Twitter!