Rapidinhas do Branco – LXI

COMPARTILHE:

Cabo eleitoral do pai

Corre pelos bastidores políticos da capital do minério que o vereador e pré-candidato a prefeito, Aurélio Goiano, do PSD, poderá lançar o seu pai, conhecido como “Zé da Lata”, a vereador. O fato é encarado como factível. Inegavelmente, Goiano é um grande cabo eleitoral.

Sabe lá quando

O ano começa e ainda não se tem uma data de quando o prefeito Darci Lermen (MDB) anunciará oficialmente o seu candidato. Como dito antes, na verdade, o nome está decidido, porém não oficializado. O mandatário municipal quer total apoio de outros pré-candidatos de sua base, o que, digamos, não é fácil de conseguir. Até se cogita surgir uma terceira via. A ver.

Consolidação do nome 

A quarta e mais recente pesquisa Data Populi sobre a disputa pela prefeitura de Parauapebas, consolidou a liderança acima da margem de erro do presidente da Câmara Municipal, Rafael Ribeiro, do MDB, entre as pré-candidaturas da base governista. O mesmo mantém o menor índice de rejeição entre os cinco mais bem colocados. Ribeiro segue tirando a cada novo levantamento a diferença para Goiano.

Pegou muito mal

Para a sorte da deputada federal e primeira-dama de Ananindeua, Alessandra Haber, estamos de recesso, e por conta disso, as notícias políticas esfriam. É o caso da citada, que foi a parlamentar entre todos os seus pares que somam 513, a que mais gastou em recursos de publicidade. O fato foi notícia nacional e fez com que a equipe da referida parlamentar trabalhasse em regime de plantão para gerenciar a crise.

Nome em destaque 

No município de Mãe do Rio, Nordeste do Pará, vem surgindo um nome forte na política de lá. Chama-se Lays do Sabá, uma jovem empresária bem sucedida que vem conquistando muitos apoios em sua pré-candidatura a prefeita. Ela é filiada ao PP, e conta com apoios de Avante, PSD, UB e PDT, que sinalizaram que irão seguir a referida jovem.

Reeleição tranquila 

O que se diz em Canaã dos Carajás é que a reeleição da prefeita Josemira Gadelha, do MDB, será muito tranquila, pois lidera com folga as pesquisas. Sua gestão aparece em oitavo lugar entre as de melhor índice de avaliação do Pará. O ex-prefeito Jeová Andrade, do PL, até tenta se tornar competitivo, mas, claramente, sem sucesso.

Lula no Pará 

O Governo Federal investiu R$ 57,5 bilhões no estado do Pará em 2023 em áreas como saúde, moradia, cultura, educação, segurança, obras de infraestrutura, ciência e geração de empregos e renda. Em 2024, com o PAC e obras em conjunto com o governo do estado e prefeituras, o nível de investimentos será ainda maior. A expectativa é chegar a R$ 100 bilhões.

Disputa acirrada

A eleição municipal em Capitão Poço, Nordeste do Pará, promete ser uma das mais disputas do próximo ano entre as municipalidades paraenses. Três grupos políticos disputam o Executivo. Por enquanto, o governador Helder Barbalho (MDB) se mantém de longe, não define apoio justamente porque os nomes são de sua base. Na citada municipalidade, uma dos pré-candidatos representa um dos tentáculos da “República de Ananindeua”.

Sem faltas

Dos 513 deputados federais, apenas 30 deles participaram de todas as sessões da Câmara Federal. O Pará, que conta com 17 parlamentares, teve apenas um 100% assíduo: Raimundo Santos, do PSD, segundo dados levantados pelo Congresso Em Foco.

Nota de descontentamento

A poderosa Federação das Indústrias do Estado do Pará (FIEPA) enviou nota ao Blog do Branco sobre o posicionamento da entidade em relação às medidas anunciadas no último dia 28/12, pelo ministro da Fazenda, Fernando Haddad, e que teriam como objetivo aumentar a arrecadação federal, na tentativa de chegar ao “déficit zero” em 2024. Segundo a Fiepa, o aumento da carga tributária das empresas e ameaça a oferta de empregos no país.

Reeleição improvável

Só um milagre salva o projeto de reeleição de Claudomiro Gomes (PSB), em Altamira. É o que diz a pesquisa Doxa. O maior município brasileiro em território deverá eleger o ex-vereador Dr. Loredan, que conta hoje com 32,9% das intenções de voto. Em segundo lugar aparece o ex-prefeito, Domingos Juvenil, com 16,2%. A ex-prefeita, Odileida Sampaio é a terceira colocada com 9,0%. Em quarto vem o atual mandatário com apenas 8,0%.

Freios e contrapesos I

O ano eleitoral começa em seu primeiro dia com a pauta da disputa, ou melhor, a resistência do prefeito de Ananindeua, Daniel Santos, em ser candidato a governador em 2026. No segundo mais populoso município paraense começam a surgir nomes (possibilidades) de frear o avanço da “República de Ananindeua”, começando por dificultar a reeleição de Daniel Santos, para que à sua vitória “esmagadora” nas urnas não seja usada como discurso para o Palácio do Governo, em 2026.

Freios e contrapesos II

Helder Barbalho começa a mexer as peças do tabuleiro de Ananindeua para, digamos, diminuir a possibilidade de uma reeleição tão tranquila de Daniel Santos, que o fortalecerá ainda mais para disputar o governo estadual em 2026. Para isso, está sendo articulada a ida de Miro Sanova para o PT, com objetivo de ser candidato a prefeito naquela municipalidade. Há outra frente que está trabalhando para destituir as executivas municipais do PT e MDB de Ananindeua, ambas ligadas ao prefeito.

Os gastões e os econômicos da Alepa

O Blog do Branco de forma inédita e exclusiva, levantou o volume de gastos dos 41 deputados estaduais (40 de forma integral por conta da licença de um parlamentar em agosto). O mais econômico foi o líder de governo na Casa, Iran Lima, do MDB. O segundo que menos gastou foi Rogério Barra, do PL. Em terceiro, Luth Rabelo (PP). Por outro lado, os mais gastões por ordem de despesa, foram: Torrinho Torres (Podemos); Dirceu Ten Caten (PT) e Fábio Freitas (Republicanos).

Em restruturação 

O PSB, que no Pará é controlado pelo ex-deputado federal Cássio Andrade, quer usar as disputas municipais como instrumento de restruturação do partido. Depois que Andrade não conseguiu se manter em Brasília, além de ter visto a legenda perder representação na Alepa, ficando com apenas um assento, o PSB quer se alavancar para um retorno mais forte nas eleições gerais de 2026. Na capital, o partido controla a Secretaria Estadual de Esporte e Lazer (SEEL), espaço que restou para acomodar a base.

Nome de volta ao tabuleiro eleitoral

Quando Celso Sabino, do União Brasil, se tornou ministro do Turismo, o Blog do Branco adiantou que o mesmo se credenciaria por inércia, a disputar a Prefeitura de Belém. Durante meses, Sabino, ficou de fora de qualquer sondagem. Agora, nos primeiros dias de 2024, seu nome volta a configurar como um dos prefeituráveis da capital do Pará

Bolsonarismo em alta na capital

As pesquisas feitas na capital do Pará, apontam para uma liderança de candidatos bolsonarista, com destaque para o deputado federal Éder Mauro (PL). Com a gestão de Edmilson Rodrigues (ainda no Psol) em baixa, a oposição crescer. O governador Helder Barbalho sabe disso e vem monitorando a situação. Perder o comando político de Belém seria uma baixa considerável em seu projeto para 2026.

O blog no Twitter!