Governo Darci: da teoria à prática?!

1
0

Parece que o ano de 2018 promete ser de muitas realizações do poder público municipal em Parauapebas. O ano passado, 2017, o primeiro da gestão do prefeito Darci Lermen (MDB) foi cheio de discursos, pretensões, planejamentos e o mantra que era espalhado por todo o seu primeiro escalão: “ano que vem será um ano de realizações”. Tive pessoalmente contato com alguns secretários municipais e sempre essa frase era colocada no processo dialético quando se indagava as ações práticas do governo.

Pois bem, caminhando para o fim do primeiro mês do segundo ano de gestão, com o aumento das cobranças, impaciência social e o enquadramento que a gestão estava em meio à inércia administrativa, o prefeito Darci parece começar a sacudir seus auxiliares mais diretos e iniciar diversas ações de políticas públicas na prática, sobretudo, as de perfil estruturante.

No último domingo (21), na região conhecida como “Contestado”, a comitiva do prefeito composta por secretários e vereadores, reuniu-se com a comunidade do local e apresentou um plano de ação para aquela localidade, situada na zona rural de Parauapebas. Na ocasião foi prometido: a construção de pontes e pavimentação asfáltica até a Vila Carimã; instalação de torres de distribuição de internet, enquanto o governo municipal busca instalação de torres de telefonia; além do programa de mecanização do campo, que viabiliza o fortalecimento da agricultura, como já vem sendo feito com 50 famílias da área, são obras para melhorar a qualidade de vida do homem do campo.

Hoje (23) no auditório da prefeitura, novamente Darci Lermen reuniu grande público para anunciar mais um pacote de ações. Segundo nota divulgada pela Ascom, foram anunciadas as seguintes ações: terraplanagem, drenagem, pavimentação asfáltica, sinalização e a abertura de novas vias, dando preferência as rotas para o transporte público e escolar. As obras são de suma importância para melhorar a qualidade de vida dos moradores de quase toda a cidade, beneficiando bairros como: Liberdade II, Casas Populares II, VS-10 e bairros próximos do complexo esportivo. Portanto, o governo municipal começou a investir parte de seu orçamento nas áreas mais necessitadas de equipamentos públicos e que reúnem grande densidade populacional.  

Depois de um ano inteiro no campo das pretensões, das planilhas, das reuniões, de discussão do orçamento, de levantamento de demandas nas localidades, chegou a hora de começar a colocar na prática tudo que foi organizado. No ano corrente o orçamento é próprio e todo ele foi organizado conforme as demandas levantadas na cidade e a forma como o governo irá usá-lo.

Conforme escrevi recentemente, a gestão “Laissez-faire”, do deixe ir, deixe passar, tem que acabar. Os feudos criados dentro do governo e que foram a tônica de certa inércia operacional no primeiro ano precisam ser combatidos ou – pelo menos – amenizados. Darci precisa cobrar mais de seus auxiliares diretos, estabelecer juntamente com o núcleo operacional que determinada as diretrizes da gestão, maior eficiência de todo o primeiro escalão. Menos política, mais praticidade.

Em um governo essencialmente político, em ano eleitoral, o desafio será justamente manter um bom ritmo de ações e realizações. Será que agora vai? Pelo bem de Parauapebas, espera-se que sim.

Imagem: Abel Lima (WhatsApp).

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta