Darci x Valmir: a reedição da polarização

0
31

No campo das pesquisas eleitorais, o Instituto Destak deu a largada em Parauapebas. Sob o registro de nº PA-06809/2020 junto ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE), 600 entrevistas foram realizadas entre os dias 14 e 18 de fevereiro do corrente ano, nas zonas rural e urbana da citada municipalidade. A margem de erro manteve o padrão de 3,5 pontos percentuais para mais ou para menos.

Os números apresentados confirmam o retorno da polaridade entre o atual prefeito Darci Lermen (MDB) e o ex-prefeito Valmir Mariano (PSD). Além de mensurar a intenção de votos, os números buscaram avaliar a gestão municipal e a estadual. Foi perguntado aos 600 entrevistados, se aprovam ou desaprovam a forma como Darci Lermen vem administrando Parauapebas? 62% das respostas desaprovaram, e 32% aprovaram. Como ponto de partida, os números que cercam a avaliação do governo municipal, até que não apresentam um cenário catastrófico em relação ao projeto político de reeleição do prefeito Darci Lermen.

Sem surpresas, sabe-se que o nível de desaprovação seria maior do que a dos que concordam com a gestão Lermen; e em projeções preocupantes, havia o receio que a imagem avaliativa negativa poderia chegar próximo dos 80%. O índice de 62% é alto, mas ainda administrável. Há diversas obras que serão executadas no ano corrente que tende a melhorar a avaliação do prefeito, dentre elas a maior: Programa de Saneamento Ambiental, Macrodrenagem e Recuperação de Igarapés e Margens do Rio Parauapebas (Prosap).

Como de praxe, a pesquisa dividiu o seu levantamento de dados em dois segmentos: espontânea e estimulada. No formato espontâneo (quando não se apresenta os nomes dos candidatos), o cenário é o seguinteex-prefeito Valmir Mariano na frente (26,8%), seguido do atual prefeito, Darci Lermen (23,1%). Em terceiro lugar vem Marcelo Catalão (3,6%). Na quarta colocação ficaram empatados Francine do Hiper Sena e João do Verdurão, ambos com 1,5% de intenções de voto. A vereadora Joelma Leite aparece com 1,2%. Os demais citados obtiveram menos de 1% de intenção de votos. Por outro lado, 39,2% dos entrevistados ainda não decidiram em quem votar ou que pretendem votar branco ou anular o voto.

No formato Estimulado (quando se apresenta ao entrevistado o nome dos pré-candidatos), o ex-prefeito Valmir Mariano atinge 31% das intenções, e o atual prefeito Darci Lermen chega a 30%. Novamente ambos ficam empatados dentro da margem de erro da pesquisa. João do Verdurão sobre para para a terceira posição, aparecendo com 7%. Marcelo Catalão fica com 6% na quarta posição. Francine do Hiper Sena vem em quinto lugar com com 5% das intenções de voto. Joelma e Miquinha, apontam, ambos, 2%. Gilberto da Papelaria fica com apenas 1% das intenções de voto.

O empate técnico persiste quando se seleciona apenas os votos válidos, ou seja, quando é retirado os brancos, nulos e indecisos. Neste formato, Valmir Mariano fica com 37,1% e Darci Lermen alcança 35,4%. João do Verdurão vai para 8,2%. Marcelo Catalão fica com 7,6%. Francine do Hipersena vai para 6,2%. Joelma Leite 2,4%. Miquinha 2,2%. Gilberto da Papelaria 1,0%.

O ponto que deverá deixar os auxiliares do prefeito Darci Lermen em estado de atenção, é o seu índice de rejeição, que segundo a pesquisa do Instituto Destak, atinge 45,8%. Por outro lado, o ex-prefeito Valmir Mariano apresenta na mesma pesquisa, 18,2%. Essa diferença é algo extremamente desfavorável ao atual mandatário municipal. Marcelo Catalão tem 5,8% de rejeição; Miquinha, 4,3%; Joelma, 2,3%; Francine, 2,0%. João do Verdurão, Gilson Fernandes e Gilberto da Papelaria tem menos de 1% de rejeição.

A pesquisa confirma o que os mais entendidos já esperavam: a reedição da polaridade entre Darci Lermen e Valmir Mariano. Ambos com características e atuações políticas diferentes, e que – se nada mudar no tabuleiro político – irão promover um embate comparativos de suas respectivas gestões. Valmir é reconhecido na sociedade por ter sido um gestor que promoveu grandes transformações na infraestrutura urbana, mas que pecou no social. Já Darci é o contrário. Tem como marca grandes investimentos em pessoas.

Dito isto, caberá aos marqueteiros e estrategistas políticos de ambos, criarem suas narrativas junto ao eleitorado. Para combater  essa “marca” de Mariano, o Prosap é a melhor carta que Darci tem na manga contra o seu principal adversário. E nessa disputa, o governador Helder Barbalho fica de qual lado? Pelo que se conhece do mandatário estadual, em nenhum. Para ele, Darci ou Valmir, ambos, estarão em sua base de apoio, rumo a 2022. 

Darci ampliará a vantagem, tornando-se prefeito pela quarta vez? Ou Valmir poderá dar o troco? O ex-prefeito terá maiores chances se conseguir aglutinar os diversos nomes da oposição em torno de si. O que convenhamos dificilmente deverá acontecer. Ainda mais por sua reconhecida inabilidade política, tendo ainda o seu partido, o PSD, sem rumo, depois da saída em massa de importantes nomes. 

O embate começou – assim como a cobertura do Blog sobre o assunto -, reeditando o confronto ocorrido há quatro anos. 

Deixe uma resposta